Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/03/2010 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasil lidera em ataque a contas bancárias na web

Por: Marcos Burghi

Segundo pesquisa, as máquinas brasileiras foram, em 2009, o endereço de 36% dos ataques virtuais com objetivo de roubar dados e senhas bancárias.

SÃO PAULO - Um levantamento feito pela empresa de segurança virtual Kaspersky Lab mostra que, em 2009, o Brasil foi o alvo predileto das ameaças virtuais cujo principal objetivo é roubar dados e senhas bancárias. De acordo com a empresa, que detectou e analisou cerca de 35 mil ameaças diárias ocorridas em 10 países, as máquinas brasileiras foram o endereço de 36% dos ataques. Em seguida vêm China, com 21%, e Espanha, com 8%.

Dmitry Bestuzhev, analista de Pesquisas Globais da Kaspersky Lab para a América Latina, informa que, tecnicamente, as ameaças são conhecidas como ‘trojansbank’. No Brasil, o termo ‘trojan’ foi traduzido para cavalo de Tróia, em referência ao fato de que o usuário permite, sem saber, a instalação da ameaça ao abrir um link ou baixar um aplicativo no computador.

Bestuzhev explica que um dos motivos que fazem do Brasil o destino predileto desse tipo de crime é o País ser, também, o maior produtor mundial de trojansbank. "Isso faz com que os ataques domésticos sejam maioria", diz. Edison Fontes, professor de Segurança da Informação da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap), afirma que as ameaças podem chegar na forma de mensagens falsas atribuídas a órgãos públicos ou bancos. "O usuário deve ser frio diante do computador e não executar nenhuma ação pedida na mensagem", alerta.

Agressividade

Bruno Rossini, gerente de Relações Públicas da Symantec, uma das maiores empresas de segurança virtual do mundo, afirma que a internet é o ambiente mais agressivo em que uma pessoa pode estar. "Há uma tentativa de crime a cada quarto de segundo", diz. Segundo ele, há decisões judiciais que isentam o banco de ressarcir o cliente em caso de comprovação de roubo de dados de clientes que acessaram links falsos ou tiveram o acesso a um endereço correto redirecionado para página falsa como consequência de uso de máquina contaminada.

Marcel Leonard, professor de direito eletrônico da Fundação Getúlio Vargas (FGV), afirma que, em disputas virtuais que envolvem roubo de senhas bancárias e dinheiro, a Justiça tem obrigado o banco a provar a culpa do cliente. "Considera-se que o banco, ao oferecer serviços pela internet, além de obter redução de custos, está ciente dos riscos que o ambiente oferece", afirma.

Leonard esclarece, porém, que, se o banco realizar perícia no equipamento e constatar falha de proteção, ficará isento de qualquer ressarcimento.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 252 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal