Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

20/12/2005 - Gambare ! Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude de cartões telefônicos é descoberta

Por: Gilberto Yoshinaga/Mie, Shiga,Toyama e Aichi

Empresa Telecall descobre fraude de cartões telefônicos: os brasileiros são os principais suspeitos do crime.

Brasileiro tem fama de sempre dar um “jeitinho” para facilitar seu dia-a-dia. Porém, quando usado para fins indevidos, esse “jeitinho” deixa de ser uma qualidade e pode tornar-se crime. Como na recente descoberta feita pela empresa de telefonia Telecall, de que seus cartões de créditos telefônicos para ligações internacionais têm sido alvo de fraudadores. A empresa atua junto às comunidades de outras nacionalidades latino–americanas, mas apenas os cartões voltados para brasileiros têm sido fraudados.

Segundo o gerente geral da Telecall, Machado Luís, a “técnica” dos fraudadores consiste em descobrir os números seriais (PIM numbers) dos cartões sem raspá-los e devolvê-los nos pontos de venda, solicitando o dinheiro de volta. “Depois, quando um cliente idôneo compra o mesmo cartão, descobre que o fraudador já gastou os créditos telefônicos dele”, explica. Segundo Machado, em três semanas cerca de 90 cartões apresentaram o problema em pontos de venda brasileiros localizados em Mie, Shiga e Toyama. “Felizmente, descobrimos como a fraude é feita e já estamos tomando as providências necessárias”.

Ressarcimento

Machado salienta que os usuários dos cartões da Telecall (Alô Saudade, Suzana Werner, Alô Mama e Los Andes) não precisam migrar para outra empresa, e lembra que nenhuma vítima das fraudes deixou ou deixará de ser ressarcida, seja ela cliente ou revendedor. “Já trocamos os cartões fraudados e a gráfica responsável pela confecção dos mesmos já está adotando novas tecnologias para coibir esta prática criminosa”, assegura o gerente geral da Telecall. Ele isenta a gráfica japonesa do transtorno causado e lembra que a mesma gráfica produz a maioria dos cartões do gênero. “Felizmente, descobrimos a fraude logo e agimos rapidamente para ressarcir as pessoas prejudicadas e tomar providências para que não haja novas vítimas. Com a colaboração dos lojistas e a orientação da polícia, sinto que poderemos desmascarar logo esses fraudadores”, afirma.

Orientação

Aos revendedores, Machado diz que a orientação da polícia é a de apenas destrocar cartões já vendidos se o cliente deixar uma cópia de seu gaijin touroku. “Repassamos essa informação a todos os lojistas e isso será importante para que possamos desmantentelar definitivamente esses fraudadores”, informa. “Mas já temos novos lotes de cartões “no forno”, com nova tecnologia, totalmente imunes a essas fraudes”, finaliza.

O gerente geral da Telecall, Machado Luís, não nega que ficou preocupado quando teve conhecimento da fraude. “Felizmente, soubemos disso a tempo de evitar maiores transtornos aos revendedores e usuários dos cartões”, diz. Machado diz que a gráfica que confecciona os cartões já foi contatada e providenciou mudanças nos mesmos para coibir a ação de criminosos. Mesmo assim, garante: “vamos ressarcir quem ainda tiver transtornos com esse problema, desde que não haja abusos. Lojistas e clientes inocentes podem ficar tranqüilos”.

De acordo com Machado, a fraude foi descoberta através de um revendedor que ouviu falar de que os fraudadores conseguiam visualizar os números seriais dos cartões com o uso das luzes brancas dos flashes de telefones celulares, em ambientes escuros.

Segundo Machado, já foi tomado medidas contra o problema. ”A gráfica responsável já criou um novo tipo de cartão, imune a este tipo de fraude, que estará disponível nos próximos lotes, que foram encomendados com urgência”.

Provavelmente a fraude originou-se de clientes “espertinhos demais”. “Eximimos a gráfica de culpa, pois ela possui certificação de qualidade”.

A maior probabilidade é que a fraude tenha sido feita por brasileiros, pois elas ocorreram somente nos pontos de venda dos cartões feitos especificamente para a comunidade brasileira, junto a lojas onde o atendimento é feito para os mesmos. A investigação está a cargo da Justiça japonesa.

Como agem os fraudadores

[-] O fraudador compra certa quantidade de cartões telefônicos com crédito instantâneo – cinco ou dez – e finge que pretende usá-los.

[-] Com o uso das luzes brancas (geralmente, de flashes de telefones celulares) colocadas no verso dos cartões, dentro de quartos escuros, ele consegue visualizar os números seriais (PIM numbers) dos cartões sem raspar a película que os encobre.

[-] Depois de usar um dos cartões, o fraudador retorna ao ponto de venda e, dizendo-se insatisfeito com o uso do mesmo, pede para destrocar os cartões não-utilizados e pede o dinheiro de volta.

[-] Conseguindo o dinheiro, de posse dos números seriais dos cartões devolvidos, mesmo assim o fraudador faz uso dos créditos dos mesmos. Dessa forma, já fraudados, os cartões são repassados a outros clientes, que se surpreendem com o fato de os mesmos estarem “zerados”.

Como será combatida a fraude
[-] De acordo com orientação que a Telecall recebeu da polícia japonesa, todos os revendedores são orientados a só destrocar os cartões caso o comprador disponibilizar uma cópia de seu gaijin touroku (documento de identidade).

[-] Todas as ligações efetuadas pelos fraudadores têm seus números de origem e destino registrados nos computadores da operadora, mas isso ainda não é prova suficiente para incriminá-los.

[-] Todos os lojistas e clientes vítimas de cartões da Telecall fraudados foram ressarcidos e a gráfica que produz os mesmos foi contatada e alertada sobre a fraude.

[-] A gráfica já providenciou mudanças na técnica de confecção dos cartões e os novos lotes do produto virão reforçados contra a fraude.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 330 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal