Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/03/2010 - O Tempo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mais 10 autoescolas investigadas por fraude na biometria

Por: Thiago Nogueira

Detran está disposto a perdoar quem denunciar funcionários.

O Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran) investiga o envolvimento de pelo menos mais dez autoescolas suspeitas de manuseio irregular do sistema biométrico de identificação, que registra a entrada e a saída de alunos em aulas de legislação. Neste ano, outros 15 centros de formação de condutores (CFCs) já foram suspensos preventivamente.

De acordo com o delegado Anderson França, chefe da divisão de habilitação do Detran-MG, o departamento está analisando relatórios de ocorrências, e, até a próxima quinta-feira, novas autoescolas poderão ser suspensas. Ontem, ele conversou com o chefe do Detran, Oliveira Santiago, que está disposto a conceder delação premiada aos donos de CFCs que denunciarem funcionários envolvidos.

A fraude mais comum é o cadastramento de mais de uma impressão digital para o mesmo Cadastro de Pessoa Física (CPF). Anteontem, donos de autoescolas foram ao prédio do Detran, na avenida João Pinheiro, no centro de Belo Horizonte, cobrar "igualdade de direitos" e tentar negociar o adiamento da suspensão.

Segundo eles, outros CFCs apresentavam as mesmas suspeitas, mas não sofreram punições. Em uma investigação normal, após a suspeita de irregularidades, as autoescolas seriam primeiro advertidas para, depois, em caso de reincidência, serem suspensas. Contudo, o Detran-MG preferiu acatar recomendação do Ministério Público de suspender preventivamente os centros de formação que apresentassem qualquer indício mais forte de irregularidades.

Participação também da máfia

Algumas autoescolas da região metropolitana de Belo Horizonte são investigadas também pela força-tarefa que apura a máfia da venda de carteiras de habilitação. Segundo levantou a reportagem de O TEMPO, há donos de estabelecimentos e instrutores que têm feito a intermediação entre alunos e examinadores inescrupulosos do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran).
Em Betim, por exemplo, esses alunos estariam pagando R$ 1.000 para serem aprovados no exame de rua. (TN)

Aluno poderá se transferir para centro de formação regular

O Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran) estuda permitir a transferência de alunos de autoescolas suspensas para outras em situação legal. "A princípio, isso não é permitido. Mas, devido à gravidade do caso, até segunda-feira, vamos procurar uma solução. O aluno não vai ser prejudicado", garantiu o delegado Anderson França.
Por estarem suspensos, os centros de formação de condutores não podem marcar exames de legislação nem de direção. Os donos das 15 autoescolas suspensas estimam que 2.000 alunos estão sendo prejudicados.
A orientação do Detran para o aluno que está matriculado em autoescolas suspensas é interromper o curso e não fazer mais pagamentos. No site do Detran-MG (www.dentrannet.mg.gov.br), os candidatos podem consultar as autoescolas credenciadas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 428 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal