Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/02/2005 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Terroristas intensificam atividades no mundo virtual


As fraudes virtuais --que vão desde o roubo de identidade para obtenção de benefícios financeiros até lavagem de dinheiro-- são cada vez mais comuns entre terroristas.

Nos últimos meses, usuários ligados a ações terroristas estiveram envolvidos no roubo do número de cartões de crédito pela web, lavagem de dinheiro no mundo virtual e também seqüestro de páginas virtuais.

De acordo com o jornal "USA Today", o número de sites explicitamente ligados ao terrorismo foi de dezenas, em 1997, para cerca de 4,3 mil no ano passado.

Durante diversos anos, grupos como a Al Qaeda usaram a web para comunicar-se, recrutar pessoas e fazer propaganda. Agora, diz a publicação, eles migraram para outras áreas, utilizando e-mails e sites fraudulentos para realizar ataques virtuais e obter vantagens financeira com os internautas.

Imam Samudra, preso por um ataque à bomba que matou 202 pessoas em Bali, na Indonésia, é um exemplo dessa interação entre o terrorismo e a internet.

Em sua autobiografia "Hacking, Why Not?" [Hacking, por que não?], ele conta que dava instruções, via salas de bate-papo, sobre lavagem de dinheiro e fraudes de cartão de crédito. Evidências coletadas em seu laptop mostram que o criminoso tentou financiar o ataque utilizando dinheiro obtido com golpes virtuais.

Outro exemplo dado pelo jornal é o de um palestino ligado a grupos terroristas do Oriente Médio que colocou na web diversos números roubados de cartões de crédito. Ele também ensinava outros internautas a roubar bancos de dados e outros dados pessoais em sites norte-americanos.

Segundo especialistas, a web tornou-se uma alternativa muito utilizada, pois dificulta a identificação dos criminosos. "É um paradoxo: esses grupos que criticam a tecnologia e valores ocidentais tiram benefício dela para espalhar suas mensagens", disse Gabriel Weinmann, um professor de Israel que estudo o cyberterrorismo, segundo o "USA Today".

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos identificou diversas vulnerabilidades na internet e trabalha com outras autoridades para desenvolver políticas de segurança. Eles comparam a luta contra terroristas que agem no universo virtual com a guerra contra traficantes de droga que fazem lavagem de dinheiro.

"A tecnologia fica cada vez mais avançada, assim como acontece com aqueles que a usam para praticar atividades ilegais", disse à publicação Dexter Ingram, diretor de segurança da informação da Business Software Alliance. "A segurança é um processo contínuo, que nunca tem fim", afirmou ao jornal.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 541 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal