Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/01/2010 - RTP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Rede vai combater venda de remédios falsos na Internet

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) anunciou a criação de uma rede nacional para combater a venda de medicamentos falsos na Internet. Além do Infarmed, a rede que arrancará, ainda este ano, será formada pelas Alfândegas, Polícia Judiciária, tribunais e indústria farmacêutica.

"Noventa por cento dos medicamentos apreendidos em Portugal, numa operação internacional em Novembro de 2009, eram contrafeitos, uma situação confirmada laboratorialmente", revelou Vasco Maria, presidente do Infarmed, em conferência de imprensa.
"O Infarmed confiscou largas dezenas de milhares de euros em medicamentos, que eram transportados em encomendas postais que foram apreendidas, no âmbito de uma operação concertada entre 27 países de combate à Vanda ilegal de fármacos via Internet", acrescentou.

"É lucro para os contrafactores e prejuízo para as empresas", sublinhou o presidente do Infarmed que considera que "este é um problema global e exige uma resposta global".

"A rede nacional, que vai combater este crime, deverá alertar para estes problemas e identificar e levar a julgamento que se envolve nestas redes criminosas", frisou.

Segundo Vasco Maria, "já existe uma colaboração excelente entre o Infarmed, as Alfândegas e a Polícia Judiciária, que está cada vez mais envolvida", no entanto considera "que é importante a criação desta rede".

O Infarmed, em colaboração com o Conselho da Europa, está a realizar, em Lisboa, uma semana de formação sobre o problema da contrafacção de medicamentos. Em cima da mesa está a discussão da criminalização destas situações a nível europeu.

Metade dos medicamentos que estão há venda on-line é falsa

Segundo o presidente da Autoridade Nacional do Medicamento, "mais de 50 por cento dos fármacos vendidos pela Internet são falsos".

"Muitos remédios, cuja embalagem era exactamente igual à original, não tinham a substância activa que reclamavam, ou têm em menor quantidade, o que é grave. E às vezes contêm produtos ou substâncias altamente tóxicas que podem matar.", sublinhou.

Vasco Maria alertou ainda para o facto de além dos medicamentos para emagrecer e os antidepressivos, os mais procurados na Internet (ver artigo relacionado), começam também a aparecer "medicamentos para outras áreas terapêuticas, como oncologia e hipertensão arterial".

Risco para a saúde

Vasco Maria, presidente do Infarmed, preveniu ainda para o facto de "existirem portugueses a correr sérios riscos de saúde por comprarem medicamentos em sites não autorizados".

"A aparente qualidade do site não garante a qualidade dos medicamentos", acrescentou.

O responsável pela Autoridade Nacional do Medicamento revelou que "não existem registos de morte em Portugal, nem evidências que exista alguma fábrica que produza estes medicamentos no país ou na Europa", frisando que "estes produtos vêm predominantemente da China e da Índia".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 228 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal