Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/01/2010 - O Dia Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Preso por golpe acusa assessores da Alerj

Por: Thiago Prado

Suspeito de vender cargos teme represálias e diz que só vai revelar nomes em juízo.

Rio - Preso terça-feira acusado de se passar por um funcionário da Assembleia Legislativa (Alerj) para oferecer empregos em troca de pagamento, José Carlos de Souza Azevedo afirmara na Delegacia de Defraudações, no ano passado, que repassava o dinheiro arrecadado para assessores de alguns deputados estaduais. No depoimento prestado no inquérito 335/08, o acusado afirmou que não falaria o nome dos parlamentares pois temia represálias. Detido por policiais da 41ª (Tanque) em Jacarepaguá, José afirmou que agora voltará a dar declarações em juízo.

O esquema começou a ser descoberto após uma vítima procurar o gabinete do deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) há dois anos. Alex Casalta Vieira contou que deu cheque de R$ 2, 7 mil e cópias de documentos de outras pessoas que iriam trabalhar em cargos comissionados na Alerj.

CERCA DE 40 VÍTIMAS

A nomeação, no entanto, nunca foi feita e Luiz Paulo encaminhou ofício pedindo explicação a o presidente do Legislativo estadual, deputado Jorge Picciani (PMDB). Assim, a Delegacia de Defraudações foi acionada e encontrou mais vítimas lesadas pelo mesmo golpista.

Cerca de 40 pessoas foram orientadas a depositar valores que variavam entre R$ 900 e R$ 1 mil na conta bancária número 0024.001.00920341-5 da Caixa Econômica Federal em nome do próprio José. Após conseguir a quebra do sigilo na 17ª Vara Criminal, o relatório final do inquérito da Defraudações afirma que ‘constatam-se saldos positivos relativamente expressivos na conta em questão’.

No depoimento que prestou à Defraudações, ele admitiu que funcionava como um ‘agenciador de funcionários para vagas no Parlamento estadual, órgãos e/ou empresas do Estado’. José ainda admitiu que agenciou aproximadamente 40 pessoas para concorrer às vagas que oferecia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 298 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal