Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

14/01/2010 - Gazeta de Ribeirão Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Indústria de atestados


A legislação trabalhista brasileira dedica extensos capítulos que têm foco na proteção dos direitos dos empregados no serviço público ou privado, garantindo a sua segurança em todas as ocasiões, desde a atenção às condições cotidianas de trabalho até as excepcionalidades. A evolução da consciência de que o trabalhador é um parceiro nas corporações e instituições permite que o ambiente profissional seja minimamente salutar e compensador.

Entre os direitos naturais previstos em lei está a proteção em saúde devida aos cidadãos, que não podem ser confrangidos no ambiente de trabalho estando com problemas físicos ou emocionais de qualquer natureza. O sistema previdenciário brasileiro tem instrumentos que permitem que o afastamento de funcionários aconteça sem que o acaso imponha exagerados ônus trabalhistas às empresas. Nestes casos, o salário dos afastados é, em parte, subsidiado pelo INSS.

Como em todo sistema que se revela frágil na fiscalização e controle, não são poucas as fraudes que eventualmente vêm à tona. Na semana passada, o Tribunal de Justiça de São Paulo revelou um escândalo de desvio de dinheiro por meio de afastamentos de servidores com base em laudos irregulares. Com um quadro de 45 mil pessoas, o TJ-SP tinha 5 mil servidores afastados por problemas de saúde, segundo levantamento da área médica e odontológica do órgão. A suspeita identificava ainda servidores que estavam aptos a voltar ao trabalho e recebiam seus salários nos Estados Unidos e Espanha. Ao início do trabalho de corregedoria, 2 mil dos afastados trataram de se apresentar voluntariamente ao serviço.

É preciso que, cada vez mais, os mecanismos de controle sejam mais rígidos. Não se aceita a desculpa de servidores que se dedicam pouco por considerarem a estrutura ou o salário aquém de suas expectativas. Deveriam, por sorte, ter pensado nos problemas que enfrentariam antes de prestar um concurso público.

Portanto, o rigor nesses casos é justificado e a atenção nunca é exagerada. Certamente, os casos de afastamento estão respaldados por laudos médicos, mas o exemplo do TJ-SP serve como alerta para que a ilegalidade não contamine o serviço público, que, em alguns poucos casos, ainda funciona devidamente.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 299 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal