Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/07/2007 - IDG Now! Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Quatro empresas brasileiras atrasam relatórios de Sarbox nos EUA

Por: Camila Fusco

Segundo levantamento preliminar da consultoria Hirashima e Associados, entre as companhias que não respeitaram o prazo de 30 de junho estão Ambev, Cemig, Copel e Sabesp.

Entre as cerca de 26 empresas brasileiras que deveriam ter apresentado o relatório de cumprimento de normas regulatórias da Sarbanes-Oxley até o dia 30 de junho, quatro não entregaram o documento dentro do prazo.

Segundo levantamento preliminar da consultoria Hirashima e Associados, entre as companhias estão Ambev, Cemig, Copel e Sabesp.

“A Ambev informou que iria atrasar e prometeu a entrega para o dia 9 de julho. Já a Sabesp informou que entregaria até o último domingo, dia 15. A Cemig e a Copel informaram que entregariam até o dia 17 de julho, para revisitar algumas informações sobre pacotes tarifários”, comenta Guillermo Braunbeck, sócio da consultoria.

Segundo o executivo, a Ambev informou que precisava rever os históricos de anos anteriores, embora o formulário 20-F – com os resultados da avaliação de controles da seção 404 – levasse em conta apenas as informações do ano de 2006.

Na avaliação do executivo, falta de prazo não houve para as empresas cumprirem a data determinada pela Securties and Exchange Commission. “Exceto nos casos em que existiram imprevistos, como no caso da revisão tarifária, acho que o prazo foi mais do que suficiente”, declara. Segundo ele, até o fim da próxima semana, entretanto, todas as listadas já devem estar com os ajustes feitos. Não há definição, por enquanto, de punições estipuladas para as que atrasaram.

Por outro lado, as empresas que entregaram o documento no prazo não apresentaram nenhum tipo de restrição, atesta o executivo. Entre as empresas que já apresentaram o formulário estão Aracruz, Brasil Telecom, Braskem, Embraer, Gerdau, Gol, Net, TAM, Telesp, Ultrapar, Vivo, Vale do Rio Doce e Votorantim Celulose e Papel.

De acordo com o executivo, nos Estados Unidos só no primeiro ano depois da adequação 15% das empresas declararam ter deficiências em seus controles. “As companhias brasileiras puderam aprender com as lições vindas de fora, já que tiveram cerca de três anos a mais para se adequar.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 221 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal