Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/12/2009 - INFO Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia fecha lojas na Galeria Pagé, em SP

Por: Felipe Zmoginski


SÃO PAULO - Uma ação policial apreendeu produtos eletrônicos, CDs de software, roupas e acessórios falsos na Galeria Pajé, tradicional ponto de compras populares no centro da cidade de São Paulo.

De acordo com a Polícia Militar, a ação aconteceu após seis meses de investigações e teve como alvo 18 lojas suspeitas de comercializar produtos falsificados ou importados sem recolher impostos. Ao longo desta sexta-feira, 70 agentes entre policiais, advogados e representantes da Receita estadual atuaram na operação.

De acordo com a Abes (Associação Brasileira da Indústria de Software), grupo que ofereceu apoio às investigações contra lojistas da Galeria, foram necessários três caminhões para recolher os produtos suspeitos.

Entre os eletrônicos recolhidos pela polícia estão CD-players para carros, tocadores de DVD, consoles de vídeogame Xbox e Playstation 3, além de grande quantidade de roupas e acessórios que imitam grifes famosas. De acordo com a Abes, 100 mil CDs com software foram apreendidos no local.

Esta não é a primeira vez que uma operação policial fecha lojas na Galeria Pajé, um local popularmente conhecido por vender roupas e eletrônicos por preços abaixo da média do mercado.

De acordo com a Abes, a associação entrará com um processo na Justiça contra os lojistas suspeitos de crime de pirataria (desrespeito à propriedade intelectual) e os proprietários da galeria. A associação buscará indenização para os fabricantes de software.

Uma ação policial similar acabou por fechar o Stand Center, galeria conhecida por vender produtos de origem suspeita na região da Avenida Paulista, também em São Paulo, em agosto de 2008.

Na ocasião, no entanto, a operação apoiou-se num laudo da prefeitura paulistana que considerou o local inseguro para o comércio. O argumento foi usado para fechar o Stand Center embora a real motivação das autoridades fosse combater o comércio ilegal.

Ao fim do processo, o Stand Center foi multado em R$ 7 bilhões, em uma ação que envolveu os donos do imóvel e os lojistas acusados de vender material pirata. Segundo a Abes, a intenção é mover um processo similar contra a Galeria Pajé.

A operação policial desta sexta frustrou consumidores que foram à Galeria hoje para fazer compras de Natal. As lojas que não foram alvo da operação, no entanto, devem abrir normalmente amanhã, sábado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 204 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal