Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/12/2009 - Gazeta do Sul Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dedução sem comprovação gera multa

Por: Ângela Rocha


Brasília – A Receita Federal anunciou ontem um pacote de medidas que tentam fechar brechas utilizadas pelas pessoas físicas e empresas para pagar menos imposto, prática conhecida como planejamento tributário, que se alastrou ainda mais no País depois do agravamento da crise financeira no ano passado, ajudando a derrubar a arrecadação do governo. Dois dos alvos principais do pacote são a chamada “indústria da restituição” do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e as compensações de créditos tributários feitas automaticamente pelas empresas.

O pacote foi incluído na Medida Provisória (MP) 472, publicada ontem no Diário Oficial da União, que trata das medidas pró-investimento anunciadas na semana passada pelo governo. Já apelida de “jumbão”, a MP – editada com 61 artigos ­– aperta o cerco também para as empresas que operam em paraísos fiscais e cria uma taxa de fiscalização para a área de seguros, o que deve encarecer o preço dos produtos do setor.

As pessoas físicas que apresentarem deduções (como despesas médicas ou com educação) fictícias ou sem comprovação terão a partir de agora que pagar uma multa de 75%. A medida visa aumentar o risco para o contribuinte que quiser sonegar o IR para receber mais restituição. Hoje, não há nenhum tipo de penalidade para quem for pego na malha fina e tem imposto a restituir, o que incentiva a sonegação, numa típica prática “se colar, colou”, conforme explicou o subsecretário de Fiscalização da Receita, Marcos Neder.

A multa de 75% vai incidir sobre a parte da restituição que o contribuinte iria receber a mais em decorrência da apresentação de deduções irregulares. O secretário disse que, nos últimos, anos, tem aumentado esse tipo de fraude com prejuízos para os cofres públicos.

A Receita também apertou o cerco às empresas que fizerem pedidos fictícios de compensação de créditos tributários.Segundo Neder, as empresas que fizerem compensação de crédito não comprovado receberão uma multa de 75% sobre o valor creditado. (AE)

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 225 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal