Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/12/2009 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Cuidados com documentação ajudam a prevenir crimes de estelionato

É o que afirma o delegado adjunto de Repressão ao Estelionato, Flávio Marcel Sorolla, que deu dicas no Bom Dia PE; unidade registra média de 340 casos por mês.

Nesta quinta-feira (3), o Bom Dia Pernambuco entrevistou o delegado adjunto de Repressão ao Estelionato, Flávio Marcel Sorolla, para dar outras orientações sobre como se proteger contra a ação dos bandidos. No fim do ano, o número de golpes no comércio aumenta, sendo mais frequentes os casos falsificação de documentos e clonagem de cartões de crédito.

No Disque-Denúncia, de setembro até o dia 15 do mês passado, foram 856 ligações, das quais 339 trataram de estelionato. O delegado dá dicas aos consumidores. “Carreguem o menor número de documento possível, só aquilo que vai utilizar. Contas de água, luz, contracheques, isso é tudo que o estelionatário precisa”, afirma Flávio Marcel Sorolla.

“O bandido não precisa estar com os documentos, mas anotando o número do cartão de crédito, por exemplo, o código de segurança e a data de nascimento e consegue fazer compras pela internet. O estelionato é um crime que varia muito, têm acontecido mais casos de fraudes envolvendo cartões de crédito e empréstimos consignados, além dos crimes virtuais”.

Ele lembra que o cartão com chip é o tipo mais seguro. “Se você não tiver, solicite ao banco”, diz o delegado. Talões de cheque também devem ser muito bem guardados. “Pelo pouco uso, as pessoas esquecem nos locais. Quando ele é extraviado entre o banco e a residência da pessoa, é preciso registrar a ocorrência na Delegacia de Repressão ao Estelionato”.

De acordo com Flávio Marcelo Sorolla, é difícil apurar esse tipo de crime, mais silencioso. “Muitas vezes, quando começamos a investigar, o estelionatário já está longe. Temos uma média de 340 ocorrências por mês, que é um número muito grande”, contabiliza. “Por conta do aquecimento do comércio os estelionatários aproveitam, oferecendo, por exemplo, produtos inexistentes a preços convidativos. Se for muito abaixo do mercado, suspeite”.

A Delegacia de Repressão ao Estelionato fica na avenida Visconde Suassuna, 164, no bairro da Boa Vista, centro do Recife.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 579 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal