Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

28/11/2009 - O Povo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Certidões serão padronizadas em 2010

Por: Viviane Gonçalves

Novo modelo das certidões de Registro Civil será implantado em janeiro de 2010. Os dados das certidões de nascimento, óbito e casamento serão padronizados nacionalmente para evitar fraude. Não será realizado o recadastramento dos antigos.

As certidões de registro civil vão ganhar um novo modelo a partir de janeiro de 2010. Os dados das certidões de nascimento, de óbito e de casamento serão padronizados nacionalmente e apresentarão um código de identificação. As mudanças foram apresentadas ontem durante o seminário promovido pela Associação dos Notários e Registradores do Ceará (Anoreg), no hotel Praiano.

O novo modelo vai evitar fraudes, agilizar a emissão de segundas vias e unificar dados nacionalmente. Segundo o juiz auxiliar da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ricardo Chimenti, a mudança será decisiva para saber quantos registros civis existem no País. ``Esse número ainda é uma incógnita para nós. Sabemos que existem muitas certidões falsas ou sem registro``, reconhece.

No Ceará, 9% da população não possui registro de nascimento. Antes, era 27%. "A meta é que o novo modelo contribua para alcançarmos a meta de 5%, que é um índice aceitável pela CNJ``, destaca o presidente da Anoreg, Jaime Araripe.

No alto da página dos registros de nascimento, de óbito e de casamento terá a matrícula, que reúne os códigos de serventia, de acervo, de ano, do livro e da folha do registro. Esse número da matrícula será coincidente entre o Registro Civil e a Declaração de Nascidos Vivos.

Quem já tem registro civil não precisará fazer recadastramento para adaptar o cadastro ao novo modelo. ``Essa mudança vai gerar um grande impacto no futuro``, ressalta Chimenti.

Todos os cartórios brasileiros passaram por um cadastramento e receberam um código. A medida vai possibilitar que se identifique em todo País onde foi feito o registro, através da centralização dos dados. "O cidadão não vai precisar se deslocar até a cidade de origem para solicitar a segunda via", exemplifica Chimenti.

O desafio para a implementação do novo serviço é a falta de sistema de informatização em alguns cartórios, principalmente no interior. Dos 430 cartórios cearenses, cerca de 100 não possuem computadores. "Vamos realizar treinamentos e criar estratégias para uma ampla informatização", destaca Jaime Araripe.

Para a registradora Sandra Alves, o novo modelo é um importante avanço para a redução da fraude no registro civil no País.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 292 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal