Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/02/2007 - Consultor Jurídico Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Transferência de dinheiro - Bancário preso por estelionato pede liberdade no STF


O bancário Francisco Flávio Carvalho de Souza, preso sob acusação de estelionato, formação de quadrilha, falsificação de documentos e falsidade ideológica, entrou com um pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal. De acordo com a defesa, não há motivos que autorizem a sua prisão preventiva. Também foi usado o argumento de que outros envolvidos na mesma denúncia já estão em liberdade por decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

O pedido de Habeas Corpus questiona decisão do Superior Tribunal de Justiça, que negou liberdade ao réu. A prisão preventiva foi decretada pelo Tribunal de Justiça pernambucano.

De acordo com os autos, em 2003, Francisco trabalhava como gerente na agência do Banco do Brasil na cidade de Augusto Correa, no Pará. Ele conta que quatro pessoas, uma se dizia juíza e outra oficial de Justiça, apresentaram uma decisão judicial que determinava a transferência de valores da Petrobrás para o autor da ação. No caso de descumprimento daquela decisão, conforme outro documento, haveria multa diária de R$ 500 mil e prisão.

Os advogados do gerente alegam que ele ligou para uma servidora da Justiça de Pernambuco e para um juiz para se certificar de que aquela decisão era verdadeira. Depois, autorizou a transferência, “que não chegou a se concretizar em função de bloqueio do sistema de segurança da agência bancária”, argumenta a defesa. Esta autorização levou o procurador-geral de Justiça de Pernambuco a denunciar o gerente e pedir sua prisão.

Segundo os advogados, Francisco está preso “simplesmente porque cumpriu uma ordem judicial”. Além disso, afirmam que ele nunca se furtou a ajudar a Justiça no esclarecimento dos fatos, não possui antecedentes criminais, é réu primário com endereço certo.

No mérito, pedem a revogação definitiva da ordem de prisão. O ministro Marco Aurélio é o relator da matéria.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 311 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal