Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

16/11/2009 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia descobre esquema para fraudar vestibulares em Minas Gerais


BELO HORIZONTE - Um esquema montado para fraudar vestibulares foi desfeito pela Polícia de Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, neste domingo. Um advogado cobrava R$ 35 mil e prometia fornecer ilicitamente as respostas a candidatos interessados no vestibular de medicina, que foi aplicado nas cidades de Itajubá e Pouso Alegre.

Após receber uma denúncia feita pela mãe de um dos candidatos, uma equipe da TV Globo e um policial se passaram por candidatos e procuraram pelo advogado Fernando Aparecido Cantarelli, acusado de fazer as negociações da fraude. Ele estava hospedado em um hotel de Pouso Alegre. Durante a conversa com os supostos interessados, Cantarelli disse que se o esquema fosse realizado em São Paulo o preço subiria para R$ 40 mil.

Depois de explicar com detalhes que as respostas eram passadas via telefone celular e que participava de um grupo especializado em resolver questões deste tipo há mais de 20 anos, o advogado, que atua em Caconde, 282 km da capital paulista, recebeu voz de prisão.

No hotel onde estava hospedado, os policiais encontraram uma agenda com diversos nomes e números de telefone de todo o país. Também foram apreendidos alguns envelopes com chips de celulares.

O advogado negou participação no esquema. Ele teve a prisão preventiva decretada e já tinha passagens pela polícia por corrupção e aliciamento de menores.

O delegado responsável pelo caso, Bruno Aparecido, disse que será investigada também a participação de pessoas das universidades que realizaram o vestibular.

A assessoria de imprensa da Universidade de Pouso Alegre informou que desconhece a participação de funcionários no esquema. Informou ainda que, durante as provas, o material dos alunos, como bolsas, mochilas e celulares, é deixado na frente da sala e que até a ida dos candidatos ao banheiro é monitorada.

A Universidade Vale do Sapucaí, em Itajubá, informou que vai aguardar a notificação judicial sobre o caso para depois emitir algum comunicado. A universidade também informou que irá apurar o caso com base em dados concretos, para que não haja suspeita sobre a legitimidade do processo seletivo, que é organizado de forma sigilosa e por uma comissão de confiança e com experiência acadêmica.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 201 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal