Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/02/2007 - Gazeta Mercantil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Como descobrir uma obra falsa


Bruxelas, 13 de Fevereiro de 2007 - Como identificar uma falsificação? Rupert Maas, negociador de arte vitoriana, tem uma estratégia fundamental. "Trate o objeto como uma pessoa que você acabou de conhecer", diz ele. "Siga seu instinto."
Maas deve saber o que está dizendo. Ele é um proeminente negociador de arte britânica do século 19 e organizador da exposição de pequeno porte de arte britânica "The Art of Deception" (algo como "A Arte do Engodo") na Feira de Aquarelas e Desenhos de Londres, cuja intenção é familiarizar os visitantes com a aparência de obras falsas.
O conselho de Maas está de acordo com o de Malcolm Gladwell em seu mais recente best-seller Blink - A Decisão num Piscar de Olhos, tratado que glorifica a intuição. O primeiro capítulo do livro de Gladwell trata de uma estátua grega do século 6, que foi comprada pelo Museu Getty em 1983. Os testes científicos sugeriam veementemente que a peça era verdadeira e os certificados da obra eram convincentes. O Museu Getty comprou a idéia. Mas vários especialistas deram apenas uma olhada na estátua e tiveram certeza de que havia algo de errado com ela. A peça simplesmente não tinha a aparência que deveria ter. No final das contas, ficou-se sabendo que eles estavam certos em confiar em sua intuição.
Maas não ficou surpreso ao saber dessa história. "Qualquer coisa que seja secundária pode ser facilmente falsificada", diz ele. "A coisa mais fácil de falsificar em uma pintura é a assinatura, além de etiquetas nas costas da obra, manchas provocadas pelo tempo, esse tipo de coisa. A procedência, ou os papéis que provam a autenticidade da peça, podem ser criados e ‘plantados’, como geralmente acontece."
Na realidade, no início da década de 1990 um homem chamado John Drewe conseguiu introduzir papéis de procedência falsos nos arquivos de instituições como a Tate Gallery e o Victoria & Albert Museum, de Londres. E esses documentos foram posteriormente utilizados para dar respaldo a obras de arte falsificadas por seu cúmplice.
A parte mais difícil de copiar, segundo Maas, é a própria obra. "É como imitar a caligrafia de outra pessoa", diz ele. A estátua do Getty, por exemplo, parecia superficialmente com uma obra do século 6, pois era uma mistura de traços copiados de várias obras genuínas.
Da mesma forma, na área de especialidade de Maas, que é a da arte britânica do século 19, o falsificador pode produzir um quadro que pareça falso devido ao fato de a obra ser muito certinha. Ou seja: o falsificador copia um número demasiado de características do artista original.
"Quantas entre £ 20 mil e £ 100 mil parece ser a faixa almejada pela maioria dos bons falsificadores", diz ele. "Nessa faixa de preço, há vários artistas que pode-se dizer sejam formulistas. Eles têm um estilo reconhecível, que é como uma marca."
"Uma das razões pelas quais antiguidades são tão falsificadas deve-se ao fato de que esses mercados ainda são como o Velho Oeste". Em outras palavras, até mesmo os especialistas podem não saber bem o que esperar.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 402 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal