Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/11/2009 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Azeredo afirma que relator inseriu recibo falso em processo


BRASÍLIA (Reuters) - O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), denunciado pela Procuradoria-Geral da República por envolvimento no chamado mensalão mineiro, afirmou nesta quinta-feira que o ministro Joaquim Barbosa, relator do caso no Supremo Tribunal Federal, incluiu um recibo falso de 4,5 milhões de reais no processo.

"Estou afirmando com toda a clareza que esse recibo é falso. Nunca assinei esse recibo e não há comprovação de que ele seja autêntico", disse Azeredo a jornalistas.

O senador disse que em 2007 denunciou o responsável pela falsificação do recibo.

Na quarta-feira, o ministro Barbosa recomendou ao tribunal abertura de ação penal contra Azeredo por crime de peculato. Os recursos supostamente desviados de Minas Gerais teriam servido para o caixa da campanha de Azeredo à reeleição do governo mineiro em 1998.

Pela denúncia, foram desviados 3,5 milhões de reais por meio de contratos de publicidade da agência SMPB com as estatais Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig) e Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge).

A SMPB é do empresário Marcos Valério, considerado o operador do mensalão mineiro e do PT. Os recursos seriam destinados a eventos esportivos mas teriam ido parar na campanha derrotada de Azeredo.

O senador, que negou ter conhecimento dos patrocínios realizados pelas estatais, também considerou estranha a aceitação da denúncia pelo STF. Argumentou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu acusações semelhantes e teve outro tratamento.

"Eu acho estranho. Não vou entrar no mérito mas a situação é muito semelhante", afirmou.

O ministro Barbosa retoma nesta quinta-feira a leitura de seu relatório, em que pode acatar ainda a denúncia de crime de lavagem de dinheiro imputado ao procurador. Em seguida, os demais ministros do STF se manifestam sobre a abertura de ação penal contra o senador.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 164 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal