Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/11/2009 - Agência Pará de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia prende quadrilha que fraudava operadoras de cartões de crédito

Por: Walrimar Santos


Policiais civis da Delegacia de Repressão a Crimes Tecnológicos (DRCT), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), prenderam nesta quinta-feira 5, quatro pessoas acusadas de integrar uma organização criminosa que fraudava máquinas de operadoras de cartões de crédito para desviar valores de compras para contas de duas empresas fantasmas.

As prisões foram realizadas em Belém e Marituba, na Grande Belém, e Castanhal, no nordeste paraense. Sob coordenação da delegada Beatriz Machado, titular da DRCT, a operação "Vision" resultou nas prisões de Carlos Henrique Amaral Costa; do sócio dele, Ednei Sebastião da Rosa; do contador das empresas, Paulino Nunes Vulcão, e do encarregado pelo recebimento das máquinas, Otávio Bernardo da Luz. Duas pessoas estão foragidas. A fraude já rende um prejuízo às operadoras superior a R$ 2 milhões.

As prisões resultaram de investigações realizadas pela equipe da DRCT, que culminaram nas detenções de Carlos Henrique, um dos líderes da fraude, quatro mandados judiciais de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão. Dois dos presos - Carlos Henrique e Edinei - apontados como os líderes do esquema, foram encontrados em um hotel em Castanhal.

Com os presos foram apreendidos duas máquinas de operadoras de cartões, computadores, cartões de crédito em nome de pessoas diferentes, cheques, talões, celulares, entre outros objetos. Também foram apreendidos três carros de luxo comprados com os valores arrecadados na fraude. A delegada Beatriz explica que Carlos Henrique e Otávio são ex-gerentes de uma grande loja de departamentos, no centro de Belém. "Por isso, eles conheciam o funcionamento dos pontos das máquinas e conseguiram infiltrá-las na loja sem serem percebidos", explica a policial.

Quebra de sigilo - O advogado da loja, Augusto Potiguar, explica que a administração da empresa desconfiou de erros na contabilidade da firma no mês de março deste ano, pois levantamentos internos mostraram uma diferença entre os valores dos produtos vendidos e os valores arrecadados nas vendas da loja. O problema, conforme constatou a gerência da empresa, era proveniente das máquinas das operadoras. Diante disso, o fato foi denunciado à DRCT, que iniciou as investigações no início de agosto.

Com o andamento das apurações, a delegada requereu à Justiça as quebras dos sigilos das máquinas e, depois, de contas bancárias. A partir disso, as investigações chegaram aos nomes dos responsáveis por duas contas, que estavam em nome de duas firmas fantasmas NKC Comércio e Importação Ltda., e Líder Temper. A primeira empresa estava em nome de Núbia Karla Cunha de Oliveira, esposa de Carlos Henrique, e a segunda em nome dele.

As apurações feitas pela Polícia Civil mostraram que as máquinas fraudadas foram inseridas dentro da loja e usadas para registrar os valores referentes às compras. No momento em que o cartão era passado na máquina, os valores das compras caíam nas contas das empresas fantasmas, ao invés de serem debitados na conta das operadoras. As investigações prosseguem.

O irmão de Carlos Henrique, Célio Augusto Amaral Costa, e a esposa de Carlos, Núbia Karla, também acusados de envolvimento no esquema, estão foragidos. Um dos presos, Otávio, recebeu proposta de R$ 20 mil da empresa Líder Temper para sair da gerência da loja, onde trabalhou por 15 anos. Os presos responderão por estelionato, formação de quadrilha e furto, entre outros delitos. Eles ficarão presos à disposição da Justiça.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 475 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal