Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

28/10/2009 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Crime de estelionato é um dos mais comuns na RMR

Mulheres e idosos são os alvos mais freqüentes; só no Recife, são registradas por dia 60 denúncias de golpes na polícia.

Um crime que não tem hora para acontecer, mas tem alvo certo: mulheres e idosos. Basta um descuido na porta do banco ou no meio da rua para o estelionatário agir. Só no Recife, são registradas por dia 60 denúncias de golpes na polícia.

O crime é um dos mais comuns na Região Metropolitana do Recife. Só este ano, a polícia encaminhou à Justiça quase 600 inquéritos relacionados a investigações sobre estelionatos. Sessenta e nove pessoas foram presas em flagrante. Outras 28 tiveram mandados de prisão preventiva expedidos. Diariamente a Delegacia de Repressão ao Estelionato recebe uma média de 60 denúncias de pessoas que foram vítimas da ação dos bandidos.

Mulheres e idosos são os alvos mais frequentes dos estelionatários. Geralmente, as abordagens acontecem no meio da rua. Ou na porta de um banco ou no corre corre do comércio.

Os golpistas aproveitam os momentos de distração das vítimas para agir. Alguns golpes são antigos, mas ainda enganam muita gente. Como o do bilhete premiado.

“O golpista aborda a vitima próxima à agência bancária e diz que está de posse de um bilhete premiado. Entra em cena um segundo golpista que liga para outra pessoa para que confirme a informação. Eles pedem a vítima uma certa quantia para que compre o bilhete premiado por um preço mais barato”, explica o delegado Rômulo Aires (foto 2).

O engenheiro aposentado Fernando Pinheiro (foto 3) nunca perdeu um documento sequer. Também não foi roubado. Mas teve a identidade falsificada. O que trouxe diversos problemas à vida dele. O golpista emitiu cartões de crédito com o documento, fez dívidas em várias lojas e chegou ao ponto de comprar um carro financiado em 48 meses. Com prestações de mais de R$ 1 mil, em nome do engenheiro. O golpe só foi descoberto quando as faturas chegaram ao endereço.

“Hoje eu tenho medo até da minha sombra, quando vou tirar dinheiro no banco olho para todos os lados”, comenta o aposentado Fernando Roberto Pinheiro.

A facilidade no acesso aos dados cadastrais tem contribuído para o aumento da falsificação de documentos e consequentes golpes de estelionatários. Evitar fornecer o número do CPF e identidade em locais estranhos é o primeiro passo para se proteger dos falsários. As vítimas devem comunicar o crime imediatamente à polícia. No caso de golpes contra o consumidor, os estabelecimentos comerciais devem ser responsáveis pelo ressarcimento dos valores.

“O uso de um cheque clonado ou cartão de uma pessoa, se alguém tiver feito compra em seu nove, o cidadão tem direito de receber de volta o dinheiro que perdeu. O banco ou as lojas onde foram feitas as comprar tem o dever de não deixar esse tipo de crime ocorrer”, explica a
presidente da Adecon, Rosana Grimberg (foto 4).

A pena para quem for condenado por estelionato, que é tirar vantagem para si de forma ilegal, é de um a cinco anos de prisão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 172 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal