Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

29/10/2009 - PC Magazine Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Segurança corporativa

Por: Alexandre Novakoski


A popularização dos sistemas de videomonitoramento nos últimos anos aconteceu por conta de suas inúmeras aplicações na área de segurança pública e privada. A grande preocupação em todo o mundo com a criminalidade, corrupção e o terrorismo foi decisiva para a adoção desta tecnologia em larga escala. Difícil hoje encontrar um ambiente público ou privado, seja um banco, um edifício comercial, uma repartição pública, um estacionamento, ruas, bairros e até cidades inteiras que não sejam observados por um sistema de monitoramento e vigilância.

Porém, outras aplicações menos conhecidas dos sistemas de vídeo monitoramento também começam a ser empregadas aumentando ainda mais sua procura como, por exemplo, aquelas relacionadas aos sistemas de telemetria e logística, usados por empresas para melhoraria de processos de negócio e para o controle de fluxos de clientes em lojas, entre outras.

A diversificação funcional desses equipamentos foi a responsável, de acordo com a "Análise do mercado Global de CCTV (2008-2012)", viabilizado pela RNCOS - Industry Research Solutions, pelo incremento do mercado de câmeras de vigilância cujo faturamento ultrapassou US$ 6 bilhões em 2008. Além disso, o comportamento promissor do setor também é demonstrado em uma pesquisa recente do IDC (International Data Corporation), que mostra o aumento do número de empresas que investem em soluções sobre IP para os seus sistemas de segurança, como tecnologias de acesso e monitoramento por vídeo em redes de segurança e controle de acesso digital.

O estudo prevê um grande salto na migração de vigilância por controle de câmeras de 9,3 milhões em 2007 para 25 milhões em 2013. Os dados apontam ainda que o sistema de rede de segurança sobre IP (Internet Protocol) irá superar as câmeras analógicas até 2012. Espera-se um crescimento entre 51,7% e 50,1% para os próximos cinco anos no mercado mundial.

Os Sistemas de Circuito Fechado de TV (CFTV) que utilizam redes IP substituem as soluções tradicionais baseadas em cabos coaxiais - tipo de cabo condutor usado para transmitir sinais - e DVRs (Digital Vídeo Recorder). Isso está ocorrendo devido as suas funcionalidades consideravelmente superiores, maior desempenho, facilidade de instalação e manutenção. Esses sistemas necessitam apenas de um ponto de rede ou acesso Internet e não mais de um computador para o envio das imagens.

Esta tecnologia facilita o monitoramento de áreas urbanas. Seria tecnicamente mais difícil, por exemplo, fazer o cabeamento de uma cidade do porte de São Caetano do Sul, localizada na região do ABC paulista, com quase 153 mil habitantes, para a instalação de câmeras de monitoramento, sem esse tipo de tecnologia.

No que diz respeito à relação custo x benefício, o uso da tecnologia baseada em protocolo IP também é insuperável. A infraestrutura de instalação necessária requer investimentos inferiores aos demandados pelos sistemas que empregam cabeamento coaxial. Além disso, o consumo de energia também é muito inferior ao das câmeras analógicas.

Também já é ultrapassada a idéia de que câmeras profissionais são sinônimo de grandes equipamentos. Atualmente os sistemas de videomonitoramento utilizam modelos de pequenas dimensões e peso, sendo os mais simples tão pequenos que cabem na palma da mão. Além disso, os benefícios técnicos também são inúmeros.

Existem modelos que contam com facilidades de rede sem fio (Wi-Fi), com posicionamento e ajuste de zoom, luminosidade e outros ajustes realizados pelo próprio usuário que acessa sua imagem remotamente pela Internet, com grande qualidade. Visão noturna por infravermelho, sensores de alarme e de movimentação capazes de enviar e-mail de aviso automaticamente e outras facilidades tornam o uso da tecnologia de câmeras IP própria para qualquer necessidade.

Do ponto de vista da segurança, sistemas que incorporam câmeras baseadas no protocolo IP associadas à utilização de recursos como firewalls, VPNs e proteção de senha, permitem transferir todos os tipos de dados. Mais frágeis, os sistemas analógicos não possuem recursos para encriptação - processo que consiste em tornar ilegível a informação de uma mensagem digital recorrendo à técnica de chaves públicas e que permite obter garantias de confidencialidade durante o percurso da mensagem até ao seu destinatário - ou qualquer outra forma de autenticação de informação.

Isso possibilita que qualquer pessoa veja as transmissões ou ainda, permite interferência com informações falsas em vídeo, o que é impossível com as redes IP seguras. Grande parte dos atuais sistemas de monitoramento IP permitem ainda uma combinação harmônica entre câmeras analógicas e servidores de vídeo em rede.

Todos estes argumentos justificam por que em pouco mais de uma década desde o seu surgimento, o interesse pela tecnologia de monitoramento IP continua a crescer. O investimento, desempenho, confiabilidade entre outros quesitos, provam que essa tecnologia veio para ficar.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 180 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal