Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

11/01/2006 - Agência Brasil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Maior trabalho do Coaf não significa que corrupção aumentou, avalia presidente do conselho

Por: Alana Gandra


Rio – O presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Antonio Gustavo Rodrigues, acredita que o aumento no seu número de registros não significa que aumentou a corrupção no Brasil. "De jeito nenhum porque, primeiro, não é só corrupção. Pode ser qualquer coisa e pode ser, até, nada. Eu não afasto a hipótese de alguma comunicação ser feita simplesmente porque nós não encontramos elementos que explicassem a tal movimentação", disse, hoje (11), em palestra na Câmara de Comérco Americana do Rio de Janeiro.

Em 2005, o Coaf enviou 687 pedidos de investigação de operações suspeitas para a Polícia Federal, Ministério Público Federal e estaduais. "Todos acabam gerando inquéritos e estão sendo investigados, verificando se há fundamento ou não", afirmou o presidente do Coaf.

O Coaf foi criado pela Lei 9.613, de março de 1998, para identificar e coibir os crimes de lavagem de dinheiro no país. Desde 1998, o órgão recebeu 302,006 mil comunicações de operações suspeitas, das quais 1,318 mil foram encaminhadas aos órgãos competentes (Polícia Federal e Ministérios Públicos federal e estadual) para investigação.

Rodrigues explicou que, no ofício encaminhado pelo Coaf, à Polícia Federal e ao Ministério Público, o órgão é cuidadoso ao comunicar que "encontrou indícios" de operações fraudulentas. "A gente não pode cair nesse erro", afirmou, referindo-se a uma simples aparência de um fato. "Nós temos que, por informação disponível, identificar se há alguma coisa efetivamente má acontecendo", esclareceu.

O Coaf trabalha com base em informações de entidades, como os bancos e seguradoras, por exemplo, e atua conforme a legislação. Rodrigues considerou que a tendência natural é que haja um aumento das comunicações de denúncias de irregularidades ao Coaf e dos pedidos encaminhados para averiguação pelo órgão, acompanhando a melhoria dos sistemas das empresas.

Rodrigues reconheceu que a estrutura de trabalho do Coaf é reduzida. Quando assumiu o cargo, há dois anos, havia cerca de 20 funcionários. Hoje são 31 cedidos mais quatro terceirizados. Rodrigues disse que o volume de informações cresceu bastante, passando de 300 comunicações recebidas por dia para cerca de 900 por dia. "De certa forma, a gente é vítima do próprio sucesso", analisou. O Conselho não realiza concurso para admissão de pessoal, mas busca funcionários de carreira de outros órgãos governamentais. "A gente procura sempre trazer os melhores", afirmou Rodrigues.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 560 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal