Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/09/2009 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia prende 7 em esquema fraudulento de CNH em SP e MG

Por: Brás Henrique

Diretor de sindicato e donos de autoescola davam carteiras de habilitação sem motorista ter feito curso e prova.

RIBEIRÃO PRETO - A Polícia Civil de Mococa prendeu temporariamente nesta quarta-feira, 23, sete pessoas envolvidas num esquema fraudulento de Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O diretor de um sindicato e os proprietários de uma autoescola ofereciam CHNs expedidas em Contagem (MG) a motoristas de ônibus, vans escolares, veículos de emergência e de transporte de produtos perigosos.

Com o esquema, os motoristas não precisavam fazer o curso de 50 horas e a prova, exigência do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Além do curso, os motoristas candidatos a esses tipos de transporte não podiam ter infrações graves ou gravíssimas nos últimos 12 meses e nem antecedentes criminais. "É uma fraude nova", disse o delegado Hélvio Roberto Bolzani, que atuou no caso. Existe a suspeita de que mais de mil CNHs tenham sido falsificadas nesse esquema.

Nos últimos dois meses, interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça ajudaram a desvendar o esquema. Nivaldo Rafael, diretor do Sindicato dos Motoristas Rodoviários de Mococa, captava os motoristas, no boca-a-boca, e cobrava R$ 230 pelo serviço. A Autoescola Abílio, de Elton Fabiano e João Abílio, cobrava entre R$ 200 e R$ 250.

As documentações exigidas eram reunidas e encaminhadas à empresa Setae-Cereset, credenciada pelo Detran-MG para ministrar o curso, que cobra geralmente até R$ 160. No esquema, Rafael, que recebia o depósito em sua conta bancária e entregava a CNH entre 10 e 15 dias, exigindo só um dia de participação no curso, repassava R$ 180 à empresa mineira.

Sebastião Alexandre Ramos, dono da Setae-Cereset, e uma funcionária, que recebia a documentação oriunda de Mococa, foram presos e estão presos em Contagem. Um funcionário da Ciretran de Cajuru e Priscila Gervásio, funcionária da transportadora Setraza, de Sertãozinho, foram as outras pessoas presas. Priscila está na Cadeia Feminina de Tambaú. Os homens estão na Cadeia de Casa Branca.

Durante a operação desta quarta, 20 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Mococa, Sertãozinho, Cajuru, Casa Branca, Aguaí, São João da Boa Vista e Contagem. Em abordagens feitas com o apoio da Polícia Militar de São Paulo em rodovias próximas de Mococa, cerca de 150 CNHs irregulares de motoristas que atuam nesses tipos de transporte foram apreendidas - eles residem no Estado de São Paulo e têm a habilitação expedida por Minas Gerais.

Segundo o delegado Bolzani, os motoristas identificados nas interceptações telefônicas e que sabiam da fraude irão responder por uso de documentos falsos. "Identificamos cerca de 20 pessoas que sabiam que era um documento falso", informa. Os que agiram de boa-fé terão as CNHs apreendidas e terão que fazer novo curso em São Paulo. Os cinco homens e as duas mulheres ficarão presos por cinco dias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 474 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal