Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/09/2009 - Só Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falso médico que atuou no Nortão vai a júri em outubro

Por: Leandro J. Nascimento


A Justiça da comarca de Tabaporã (200km de Sinop), remarcou para o próximo dia 1º o júri popular de Australiamar Fernandes Ferreira, 39 anos, por tentativa de homicídio. Será no plenário da câmara. O réu será julgado pouco mais de um ano após ser preso. Ele foi localizado pela Polícia Civil em Iaciara (GO). Em tabaporã, ele atuou como falso médico e chegou a operar um paciente com problema de apendicite. Mas as complicações levaram a vítima a ser internada na UTI de um hospital de São Paulo.

Conforme Só Notícias já informou, a farsa de Australiamar começou a ser descoberta depois de ser denunciado pela Secretaria de Saúde de Tabaporã, que desconfiou do exercício ilegal da profissão. A família da vítima também teve importante parcela de contribuição porque localizou, via site de relacionamento (orkut), o paradeiro do falso médico em Goiás depois que ele havia deixado Mato Grosso.

Os registros da polícia apontam que Australiamar começou em 12 de janeiro do ano passado, em Tabaporã, e se hospedou em um hotel. No dia 13 começou a trabalhar na cidade. Passando-se por médico atendeu um paciente e disse ser necessária intervenção cirúrgica. O procedimento realizado trouxe complicações à vítima e a levou a permanecer internada vários dias na unidade de terapia intensiva de um hospital em São José do Rio Preto (SP). Quando soube da transferência do paciente para outro centro, Australiamar teria fugido. Para isso, argumentou estar deixando a cidade para acompanhar o enterro da mãe, em Goiás.

Em fevereiro, a secretária de Saúde, Célia Soffa, procurou a polícia para denunciar o então médico Alexandre Leite por desconfiar de sua conduta. Na época, Soffa disse que o falsário apresentou-se para preenchimento da vaga de médico no município. Para surpresa de todos, o nome utilizado por Australiamar era de um médico residente na região Sul do país.

Já em Iaciara, Australiamar foi preso em flagrante agindo da mesma forma. Depois de receber as informações por meio da família da vítima de Mato Grosso, a polícia chegou ao consultório que Australiamar havia montado. Na época fora apreendido farto material que comprovava os crimes, como carteiras de identidade e de trabalho falsificadas, carteiras funcionais, folhas de cheques, carimbos, estetocópio e certificados de conclusão de cursos falsos. Também foram encontrados medicamentos, lâminas de bisturi, anestésico, uniformes de médico e acessórios do Exército, entre outros.

O falsário foi atuado em flagrante por falsidade ideológica, falsificação de documento público, uso de documento falso e exercício ilegal da profissão. Ele havia sido contratado pela Secretaria de Saúde da cidade para trabalhar no Hospital Municipal da cidade. Pelo trabalho, ganharia salário bruto de R$ 19 mil mensais.

Australiamar foi contratado em fevereiro no município de Goiás. A apresentação de documentos e registros da categoria não levantaram suspeitas por parte do serviço público. Pouco depois de preso disse ter cursado medicina por quatro anos e meio na Faculdade de Medicina da América do Sul, em Ojos del Salado, no Chile. No entanto, não teria concluido a graduação por falta de condições financeiras.

Ficha criminal

O falso médico tem várias passagens pela polícia. Ele estava sendo procurado pela Polícia Federal da Bahia, Distrito Federal, Ceará, Mato Grosso e Minas Gerais. Também, pela Polícia Civil de Mato Grosso e respondia a processo em várias delegacias de Goiás. Exercicia a atividade médica ilegal em outros Estados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 259 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal