Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/01/2007 - A Tribuna Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Guias do INSS eram falsificadas

Por: Marcio Costa


A polícia investiga a falsificação de guias do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em um escritório de contabilidade no bairro Operária Nova, em Criciúma. Ontem, com um mandado de busca e apreensão, a polícia apreendeu um computador, disquetes, entre outros documentos suspeitos. A informação é do delegado João Loss, responsável pela 2ª Delegacia de Polícia Civil. O dono do escritório, conta o delegado, é acusado de recolher dinheiro de empresas e não fazer o repasse à previdência - embolsando as quantias arrecadadas. As guias estariam sendo entregues aos clientes com autenticação bancária falsa, também confeccionada no local.

Segundo Loss, o proprietário do escritório só não foi preso em flagrante porque não estava no local durante a diligência. No entanto, ele deverá responder pelos crimes de falsificação de documento público, falsidade ideológica e estelionato, caso se comprovem as fraudes. O delegado diz que a polícia ainda não calculou os prejuízos causados com o suposto esquema de falsificação de guias de recolhimento do INSS. "As investigações ainda estão em andamento. Os equipamentos apreendidos deverão passar por uma perícia técnica. Só assim poderemos saber o montante de dinheiro desviado pelo acusado", explica.


Indícios de fraudes

em documentos


Loss afirma que hoje vai comunicar o caso à Delegacia do Conselho Regional de Contabilidade (CRCSC) do Estado em Criciúma. Segundo ele, as irregularidades no escritório vinham sendo investigadas há cerca de um mês. Os crimes de falsificação de documentos se configuram em pelo menos duas possibilidades. A primeira delas se dá através da criação material de um documento, que deveria ser expedido por funcionário público. A segunda se configura pela alteração realizada em documento verdadeiro. A pena para esse tipo de crime é de dois a seis anos de reclusão e multa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 422 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal