Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

15/01/2004 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatários adulteram boletos bancários

Por: Wagner Gomes


Um novo tipo de fraude bancária foi descoberto. Estelionatários estão adulterando os códigos de barras nos boletos e desviando os depósitos para contas fantasmas. Os prejuízos chegam a R$ 200 mil por mês, segundo Eduardo Gomide, diretor de serviços financeiros da Kroll, consultoria de gerenciamento de recursos. Ele disse que empresas de serviços públicos como telefonia, energia e correios são os principais alvos das quadrilhas.

- Temos visto uma enxurrada de fraudes ligadas a pagamentos de tributos nos últimos três ou quatro anos. De um ano para cá, no entanto, tem aparecido também as fraudes nos boletos bancários. As adulterações não seguem um padrão de qualidade e muitas vezes são até grosseiras, feitas em papel sulfite e de uma impressora comum - afirmou Gomide.

Os códigos de barras dos boletos são adulterados no intuito de obrigar o caixa do banco a digitar os algarismos acima do código. Esses algarismos são uma alteração dos originais e acabam por indicar uma outra conta bancária. Assim, os valores que deveriam ser creditados em uma concessionária de serviços públicos, por exemplo, acabam sendo desviados para outros correntistas, "geralmente de outras cidades, para não chamar muito a atenção".

Na maior parte das vezes, pessoas se infiltram nas empresas de motoboys para realizar a fraude. Na hora em que são chamadas para fazer serviços de bancos colocam o plano em operação, trocando os boletos originais pelos falsos. Até que a empresa descubra, a operação já foi realizada. O consultor orienta as empresas a não concentrarem os pagamentos em um único office-boy e tomar muito cuidado na contratação de empresas de "courrier". É preciso também evitar emitir um cheque para o pagamento de vários boletos. Os cheques devem ainda ser nominais e no valor da fatura.

Os prejuízos tem sido assumidos pelos próprios bancos, que, segundo o diretor da Kroll, são obrigados a checar se o nome do cliente é o mesmo que indica o número da conta. O diretor da Kroll disse que o número de fraudadores é grande, mas que muitas vezes as quadrilhas agem independentes umas das outras.

As empresas levam algum tempo para descobrir, principalmente aquelas muito grandes, que trabalham com telemarketing e utilizam muito os telefones, de acordo com Gomide. Ele explicou que a forma utilizada pelos fraudadores para fugir da fiscalização e ao mesmo tempo sacar os recursos obedece à mesma lógica.

- Os estelionatários emitem novos boletos de pagamento em nome de empresas fantasmas e operacionalizam uma série de novos pagamentos, em valores menores, para contas aparentemente abertas de forma legítima. Esta forma busca ocultar as origens dos recursos e envolve procedimentos clássicos de lavagem de dinheiro, como estratificação e recolocação dos ativos financeiros no mercado - explicou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 343 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal