Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/01/2006 - 24 Horas News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresa em Rondonópolis envolvida em lavagem de dinheiro


A Polícia Federal desdobrou mais uma das atividades da empresa Campina Verde, comandada pelos irmãos Fernando e Aurélio Rocha e o pai deles, Nilton Rocha Filho, detidos, no domingo, dia 15 de janeiro, por formação de quadrilha, sonegação fiscal, uso de documento falso, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público.

A Campina Verde teria adquirido boa parte da frota da empresa Rodocamp Transportes Rodoviários de Cargas Ltda., da qual o primo dos dois, Cássio Basália Dias, consta como proprietário oficial.

Em vários contratos de financiamento para aquisição de veículos os Rocha figurariam como fiadores. “Às vezes, Nilton Rocha Filho é o único a assinar. Também no contrato de locação do imóvel para a empresa Rodocamp é Nilton quem aparece como fiador”, consta em trecho da denúncia oferecida pelo MPF (Ministério Público Federal), no dia 9, ao juiz Odilon de Oliveira, da 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande.

Documentos apreendidos pela PF em Dourados, apontariam que a Rodocamp, pertence aos Rocha. No entanto, Cássio nega qualquer vínculo com a cerealista. Ele administra a transportadora, mas segundo as investigações, ela sempre esteve nas mãos de Fernando e Aurélio.

A Rodocamp foi constituída em abril de 2001 em Dourados. Mas este ano, a estrutura administrativa da empresa foi transferida para Rondonópolis (MT), tornando a loja de Dourados uma espécie de filial. Conforme as investigações, outros documentos apreendidos denotam a utilização de veículos da Rodocamp em serviços de interesse particular da família Rocha.

A denúncia oferecida à Justiça, aponta ainda que Cássio estaria sendo usado pelo esquema montado pelos Rocha. No entanto, ele detém uma condição um pouco mais privilegiada do que a da maioria dos "laranjas" do esquema, já que teria participação em outros empreendimentos, como na construção do Residencial Gramadu's, em Dourados, cujo imóvel pertencia a Nilton e estava sob a responsabilidade de Fernando. Cássio ficou com uma das 36 unidades residenciais construídas.

Trecho da denúncia do MPF diz que Cássio “sustenta, sem maior constrangimento, que experimentou, em pouco tempo, vertiginosa ascensão profissional e financeira, relatando que, de um simples escriturário na Campina Verde, nos anos de 1995/1998, teria se tornado agenciador autônomo de fretes e, em seguida, em 2001, constituído a referida empresa, com recursos ‘seus’ - R$ 50.000,00”. O empresário teria informado à PF, que na ocasião teria adquirido quatro carretas com cavalo mecânico. Número que chegou a 40 no início deste ano.

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal já teriam o mandado de apreensão das 30 carretas da Rodocamp. Além da família Rocha, estão detidos os contadores Paulo Campione e Milton Luna.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 978 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal