Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/09/2009 - Olhar Direto Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Avelar admite denúncia contra deputado envolvido em fraudes

Por: Kelly Martins


O envolvimento de um deputado federal de Mato Grosso em supostas fraudes nas licitações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) de Cuiabá e Várzea Grande foi novamente citado hoje, pelo procurador da República, Mário Lúcio Avelar, responsável pela denúncia que deu origem à Operação Pacenas, da Polícia Federal, no dia 10 de agosto.

Além disso, ele ressaltou ainda que o parlamentar poderá estar na lista dos denunciados pelo esquema de fraudes. “Desde o início das investigações tivemos a informação de que um deputado federal tinha o papel de articular a liberação desses recursos e intermediar. Ele recebia uma porcentagem”, declarou em entrevista à imprensa nesta quinta-feira, durante visita na Estação de Tratamento de Água (ETA) Tijucal.

No entanto, apesar de Avelar ressaltar o forte indício da presença de um deputado, ele diz que ainda não há provas concretas e que as investigações continuam. Ressalta ainda que, se houver comprovação da participação do deputado nas fraudes do PAC, a denúncia será encaminhada para o Supremo Tribunal Federal (STF), devido a prerrogativa do foro privilegiado que os parlamentares possuem.

O deputado foi apontado em conversas telefônicas interceptadas, durante as investigações da Polícia Federal e do MPF, pelo codinome “candango”. O codinome aparece em algumas conversas telefônicas entre os irmãos Carlos Avalone, suplente de deputado do PSDB, e seu irmão Marcelo Avalone, donos da construtora Três Irmãos.
Questionado sobre a reação da bancada federal mato-grossense, quanto à participação do deputado, o procurador Mário Lúcio Avelar preferiu não tecer comentários. Disse apenas considerar uma reação normal e ser de direito dos parlamentares. “Acho que é um direito deles questionarem e terem essa reação”, frisou Avelar, que prefere continuar com o nome do investigado em sigilo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 263 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal