Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/09/2009 - Mogi News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresário cai no golpe do ouro

Por: Deize Batinga

Vítima pagou R$ 25 mil por 210 pepitas de latão. Duas mulheres do grupo conseguiram fugir com R$ 14 mil.

A Polícia Civil de Mogi das Cruzes está à procura de duas estelionatárias que estão foragidas. Elas e outras duas mulheres, detidas ontem pela Polícia Militar, são acusadas de aplicar o golpe do ouro falso em um empresário do ramo da construção civil. A vítima pagou R$ 25 mil por 210 pepitas de ouro, que, na verdade, não passavam de latão. Apenas R$ 11 mil foram recuperados pela polícia.

O golpe foi arquitetado e executado em três dias. Tudo começou com um encontro casual em um posto de combustíveis na rodovia Mogi-Dutra (SP-88), na terça-feira passada. "Eu estava em um restaurante quando as mulheres se aproximaram e pediram dinheiro para comprar um marmitex. Decidi pagar o almoço delas e, após a refeição, elas disseram que precisavam de dinheiro para viajar para o Espírito Santo", contou o empresário, que pediu para não ter o nome revelado.

As mulheres contaram à vítima que trabalhavam em minas de ouro e, por isso, tinham algumas pepitas para vender. "Fiquei interessado no produto, mas disse que queria fazer um teste para saber se era ouro verdadeiro. Foi a partir daí que o golpe começou a ser executado", lembrou.

Uma das mulheres que fugiu disse para a vítima escolher qualquer pepita que estava em uma meia. O homem escolheu quatro peças e entregou na mão dela, que as enrolou em um papel. "Em vez de me devolver, ela entregou para a filha, que foi comigo até dois ourives, que confirmaram se tratar de ouro legítimo", relatou.

Por garantia, o empresário pediu para fazer um novo teste e se propôs a pagar a estadia das mulheres em um hotel até o dia seguinte. "Novamente separei o ouro e de novo foi feita à troca. Um outro ourives analisou e acusou o material como ouro verdadeiro. Diante disso, aceitei pagar R$ 25 mil pelas pepitas".

Depois de fazer o pagamento, o empresário separou algumas pedras e entregou para um funcionário. "Enquanto seguia com elas para São Paulo, meu funcionário ligou e disse que era tudo latão. Não sabia se elas estavam armadas e, como ainda estava em Mogi, próximo à praça Oswaldo Cruz, joguei o carro contra a base da PM para chamar a atenção dos policiais", explicou.

Na confusão, duas mulheres fugiram levando R$ 14 mil. Outras duas, identificadas como Cíntia de Camargo, de 24 anos, e Amanda Sueli do Prado, 18, foram detidas pela cabo feminino Adriana e pelo soldado Correa, que contaram com o apoio do tenente Enos, do sargento Takano e do cabo Alexandre. Cíntia estava com uma criança de 4 anos, que foi encaminhada para a família. A dupla responderá por estelionato.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 339 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal