Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/09/2009 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Pfizer é multada em US$ 2,3 bilhões por irregularidade na venda de remédios


WASHINGTON - A Pfizer, maior indústria farmacêutica do mundo, terá que pagar uma multa recorde de US$ 2,3 bilhões, como parte de um acordo extrajudicial, depois de ser alvo de processos civis e criminais pela forma como divulgou e comercializou alguns medicamentos, informou nesta quarta-feira o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

- Combater as fraudes com os produtos médicos é uma das prioridades máximas deste governo - disse o secretário de Justiça, Thomas Perelli, ao anunciar o acordo com a empresa.

Segundo ele, este é um exemplo de como o departamento "pode ajudar o público americano quando os recursos são escassos e os custos dos cuidados médicos são altos".

O valor do acordo é o maior já pago por uma empresa farmacêutica por suposta violação de normas sobre medicamentos. O governo dos EUA explicou que a punição é resultado da promoção, por parte da Pfizer, de remédios, entre eles o analgésico Bextra, para uso com finalidades diferentes daquelas que foram aprovadas pelo órgão que regula o mercado de drogas e alimentos nos Estados Unidos, o FDA.

O uso de drogas no chamado "fora da posologia' para tratar outras indicações médicas não é incomum, porém os fabricantes são proibidos de divulgar no mercado utilizações diferentes daquelas aprovadas pelo FDA.

Uma filial da Pfizer, a Pharmacia and Upjohn Inc, adquirida em 2003, concordou em se declarar culpada pelo delito de uso indevido da posologia.

- Estes acordos encerram problemas legais importantes e nos ajudam a nos concentrar naquilo que fazemos de melhor: descobrir, desenvolver e lançar no mercado medicamentos inovadores para tratar os pacientes e algumas das doenças mais debilitantes do mundo - disse a vice-presidente e assessora legal da Pfizer, Amy. W. Schulman.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 283 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal