Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

29/07/2009 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende 20 por contrabando e fraudes chegam a R$ 100 milhões

Por: Bruno De Vizia


A Polícia Federal em São Paulo, com apoio da Receita Federal, deflagrou nesta quarta-feira uma operação em quatro Estados para combater o contrabando, a corrupção e a criação de importadoras de fachada. As fraudes e impostos sonegados podem somar R$ 100 milhões, segundo estimaiva da PF.

A Operação Ártico prendeu 20 suspeitos (cinco estão foragidos) e cumpriu 56 mandados de busca e apreensão em 16 cidades diferentes nos Estados de São Paulo, Rondônia, Espírito Santo e Mato Grosso. Há cinco foragidos.

A PF informou que as investigações começaram em 2006 e as perdas foram estimadas considerando esse período.

Entre os presos há quatro auditores fiscais da Receita, dois de São Paulo e dois de Rondônia.

As propinas cobradas por eles para liberar mercadoria ilegal no Porto de santos variam de R$ 1.000 a US$ 40 mil por conteiner, segundo a PF.

A PF informou ainda que o esquema era parecido com duas operações anteriores, Porto Europa, envolvendo as lojas de Tânia Bulhões, e Narciso, que teve como alvo a Daslu.

Segundo a PF, o grupo contrabandeava mercadorias mediante a criação de importadoras de fachada, com a conivência de auditores-fiscais, que recebem propina para registrar essas empresas nos sistemas de controle do Comércio Exterior da Receita Federal.

O esquema envolvia pessoas físicas e jurídicas. As empresas, segundo a PF, eram divididas em "ostensivas" -criadas para justificar a ocupação e a renda dos criminosos- e "dissimuladas" -abertas em nome de "laranjas", subdividindo-se em empresas de fachada, de aluguel e fantasmas, estas utilizadas para contrabandear mercadorias, sonegando os tributos incidentes sobre as transações, num esquema de lavagem de dinheiro.

A polícia informou ainda que o grupo contava com células e que era bem organizado, com uma relação de simbiose, apresentando zonas de intersecção e interesses comuns.

Entre os envolvidos, os chamados facilitadores, especializados em montar empresas de fachada e abrir contas bancárias, que são vendidas ou alugadas às outras células para a prática de crimes, sobretudo lavagem de dinheiro e interposição fraudulenta em importações.

Para abrir as empresas, os facilitadores contam com o apoio de auditores-fiscais da Receita Federal, que compõem um núcleo independente.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 232 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal