Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

29/12/2006 - Portal Verdes Mares Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Preso em São Paulo estelionatário e vendedor de Viagra falso


Investigado por comercialização ilegal de cheques roubados, o suspeito de estelionato, conhecido por “Miserinha”, foi abordado por policiais civis em Bauru (343 quilômetros de São Paulo), após três meses de averiguação do caso. Além de mais de 10 mil reais em cheque, em sua casa foram encontrados 280 comprimidos de Viagra falsificado.

Segundo o delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Bauru responsável pelo caso, Silberto Martins, a circulação dos cheques roubados e furtados vem ocorrendo na cidade de Bauru há mais de três meses, e quando as investigações começaram, não havia nenhuma denúncia ou qualquer tipo de pista relacionada ao crime. “Começamos do zero e só depois de um tempo que surgiu o nome do ´Miserinha´ ”, relata o delegado.

Martins conta que uma pessoa que recebeu um cheque roubado, comunicou à Polícia e deu o contato do suspeito. Um policial, fingindo ser o receptador do cheque falso, ligou para “Miserinha” cobrando o dinheiro merecido. O encontro foi marcado na tarde de ontem, dia 28, quando a Polícia cercou o local e o suspeito apareceu, sendo rapidamente detido.

Continuadas as buscas na casa do homem de 52 anos, foram encontradas várias folhas de cheque em branco e algumas preenchidas, totalizando juntas, mais de R$10 mil. “Ele é bancário e queremos descobrir se essa condição facilita a comercialização dos cheques”, disse Martins.

Além das folhas de cheque, houve uma descoberta inesperada na residência: 14 cartelas de Prantil, cópia do Viagra originária do Paraguai. Segundo “Miserinha”, os comprimidos, que são vendidos no mercado paralelo por R$5 ou até mesmo R$10 cada, eram para consumo próprio.

E.B.M., o “Miserinha”, foi ouvido mas teve que ser liberado. “Nós não pode afirmar que ele tem envolvimento”, disse o delegado da DIG. “Isso seria uma prova falsa, já que ele alega ter recebido os cheques sem saber que eram falsos”. Para tudo ser esclarecido corretamente, os remédios e os cheques foram encaminhados para a perícia da Polícia Técnica.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 476 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal