Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

14/07/2009 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Receita apura fraude na importação de itens de luxo


São Paulo - A Receita Federal do Brasil, em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, iniciou hoje a Operação Porto Europa, que busca apreender provas de suposta fraude na importação de artigos de luxo, envolvendo a empresária Tania Bulhões, que atua no ramo de perfumes e decoração.

De acordo com a Receita, os mandados, expedidos pela Justiça Federal de São Paulo, abrangem as lojas e residências dos beneficiários do esquema, bem como os escritórios de contabilidade. Após um ano de investigação, verificou-se que a suposta organização criminosa cometeu, nos anos de 2004, 2005 e 2006, ações de "laranjas" e subfaturamento em importações, além de crimes como descaminho, sonegação fiscal e falsidade ideológica. Segundo a PF, durante a operação, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em dois escritórios de contabilidade, duas residências e três lojas. Em um dos endereços foram apreendidos R$ 500 mil em dinheiro.

O esquema consistia em substituir, nos documentos de importação, o real importador e os reais fornecedores, respectivamente, por tradings brasileiras e por empresas exportadoras "de fachada", com sede em Miami, nos Estados Unidos. Desta forma, o grupo conseguia ocultar da Receita Federal tanto os reais beneficiários quanto os verdadeiros valores transacionados na operação.

Ainda segundo a Receita, havia duas exportadoras "de fachada" sediadas no mesmo endereço em Miami. Enquanto a primeira simulava uma aquisição dos reais fornecedores, majoritariamente sediados na Europa, a segunda se encarregava de remeter as mesmas mercadorias ao Brasil com valores correspondentes, em média, a 30% dos valores originais. As faturas comerciais falsas eram apresentadas aos servidores da Receita Federal nos trâmites de importação. (AE)

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 227 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal