Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/06/2009 - Portal MS Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe promete tirar nome da lista de devedores

Anúncios nos classificados prometem acabar com a dor de cabeça de quem está com o nome na lista de inadimplentes da Serasa, em troca de dinheiro.

Parece o anúncio de mais um serviço. Está no jornal, na internet. E a promessa é tentadora. Você paga para recuperar o crédito e sair da lista de devedores, mas o que parece uma vantagem termina em um golpe.

O velho jeitinho vira mais dor de cabeça e prejuízo. Não tem mágica. Quem está endividado deve tentar uma negociação com o credor para parcelar o débito. Não há alternativa, mas muita gente ainda cai na conversa de golpistas. Termina sem o dinheiro, e o nome permanece sujo na praça. A equipe do Bom Dia Brasil gravou um flagrante desse tipo de golpe.

Por medo de ser surpreendido, o homem que se aproxima da nossa câmera não anda sozinho. O colega vem logo atrás. A mesa do bar foi o lugar marcado para fechar um negócio irregular. O homem tenta aplicar um golpe que começou numa conversa por telefone.

A proposta é simples. O anúncio nos classificados dos jornais atrai quem está com o nome na lista de inadimplentes da Serasa. O golpista promete acabar com a dor de cabeça em troca de dinheiro.

Golpista - Você tem que saber o valor dos débitos para eu poder te dar o preço
Repórter - Deve estar em torno de R$ 10 mil. De R$ 10 mil a R$ 12 mil
Golpista - De R$ 10 mil a R$ 12 mil eu te cobro R$ 2 mil para fazer. Meu serviço é em dez dias úteis.

O golpista explica como ficará a situação do devedor.

Golpista - Eu trabalho só com os órgãos de restrições, só regularização nos órgãos. Quem você deve continua devendo. Eu não sumo com o débito.

Repórter - Mas resolve?

Golpista - Eu trabalho com a regularização de crédito, só que você continua devendo. Se você deve ao açougue do Seu Joaquim, vai continuar devendo lá.

Repórter - No sistema, como é? Tira do sistema, não existe mais no sistema.

Golpista - No sistema, não vai constar. Vai dar nada consta.

Ele pede informações pessoais e referência do interessado: "Você tem que me dar o dinheiro e o seu CPF. O seu nome, seu endereço de trabalho, endereço da sua casa, telefone de trabalho, celular. Tem que saber quem é você, entendeu?".

Antes do encontro, novo contato telefônico e uma surpresa: os débitos encontrados pelo golpista eram maiores do que havíamos informado. É o pretexto para tirar mais dinheiro de quem já está endividado.

Golpista - Faço tudo por R$ 4 mil, entrego o seu nome limpo, nada consta.

Repórter - Mas é certeza?

Golpista - Lógico que é certeza.

Um comerciante acreditou na oferta. Pagou o preço combinado no ano passado e até hoje está com o nome sujo.

"No momento do desespero, eu tentei fazer isso com ele. Claro que eu ia negociar com os credores, ia pagar tudo, só que naquele momento eu estava precisando levantar um dinheiro. E a única forma que eu vi era limpando o meu nome. Aí, eu levantava o dinheiro e pagava os credores todos", conta.

O golpe da Serasa também é aplicado pela internet. Em alguns sites, o interessado pode contratar e pagar o serviço sem precisar de um encontro entre as partes. A maior dificuldade da polícia para combater o crime é a falta de denúncias. As vítimas temem denunciar, porque tentaram se beneficiar do esquema.

"Não existe esse serviço de limpar o nome da pessoa junto às empresas de proteção ao crédito, sem que a pessoa faça o efetivo pagamento do crédito. A pessoa pode responder criminalmente e ainda ter que pagar o valor da dívida", explica a delegada Ivone Rosseto.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 328 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal