Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/06/2009 - O Dia Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Campos: quatro presos por desvio milionário

Grupo é acusado de provocar um rombo de R$ 50 milhões na companhia de luz da cidade.

Rio - Quatro pessoas — entre elas o presidente regional do PCdoB e ex-presidente da empresa municipal Campos Luz, Sivaldo Abílio de Oliveira, 67 anos —, foram presas ontem em Campos. O grupo é acusado de desviar pelo menos R$ 50 milhões do órgão só no ano passado. Desse montante, R$ 7 milhões sumiram só na última semana de 2008, segundo o delegado da 134ª DP (Campos), Sérgio Lorenzi. Três pessoas ainda estão foragidas.

A companhia é a responsável pela manutenção e reparos da iluminação da cidade. De acordo com o Ministério Público (MP), para cometer os desvios, a quadrilha dispensava licitações, fraudava notas fiscais, elaborava projetos desnecessários e atestava a conclusão de obras que jamais saíram do papel. Segundo o promotor Leandro Manhães, há indícios de que 90% das obras foram fraudadas: “Há ruas que constam como se tivessem recebido 40 pontos de iluminação, mas foram quatro. Em muitos casos a obra nunca existiu ou tinha material com qualidade ruim para maquiá-la”.

Entre os presos está Janaína Velasco de Oliveira, 36 anos, filha de Sivaldo. Segundo o MP, era ela quem criava os falsos projetos. Também foram para trás das grades Altair Peçanha Rangel, 52, e Italamei Barroso Falcão, 39. A dupla atestava, falsamente, que as obras haviam sido concluídas. Os quatro foram denunciados por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsidade de documentos públicos e particulares e ideológica.

A investigação da Operação Alta Tensão começou em fevereiro. O inquérito da Polícia Civil concluiu que nove empresas participaram do esquema. Ao todo 150 policiais civis cumpriram 16 mandados de busca e apreensão em Campos, Copacabana, Urca e Niterói. Foram apreendidos 23 veículos, documentos, armas e munições, computadores, dinheiro, joias, celulares e dois cofres.

Emendas de vereadores elevaram caixa da empresa

Além do orçamento de R$ 6 milhões previsto para o ano passado, a Campos Luz obteve a liberação de mais R$ 34 milhões graças a emendas de vereadores e suplementações do então prefeito Alexandre Mocaiber. Segundo o presidente da CPI da Campos Luz, vereador Antônio Marcos da Silva , o Papinha (PP), o dinheiro não foi usado em obras e desapareceu.

“Entre outubro, novembro e dezembro, foram liberados por emendas de vereadores R$ 6 milhões e R$ 28 milhões por suplementação pelo ex-prefeito Mocaiber”, disse. Segundo, o levantamento consta em documentos reunidos pela CPI, já enviados ao MP e à Polícia Federal. Papinha também afirma que Sivado teria desviado R$ 10 milhões da empresa, entre 29 e 30 dezembro, e fraudado R$ 5 milhões em notas fiscais. Iniciada em março, a CPI já ouviu 18 pessoas. Empresas beneficiadas pelo esquema seriam de parentes de ex-vereadores.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 351 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal