Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

28/05/2009 - Jornal de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Rede mafiosa falsificava e vendia carros de luxo

Por: Carlos Varela


Automóveis furtados em Itália e na Alemanha tinham como destino Portugal e África. PJ fez quatro detenções.

Um grupo integrado numa rede internacional de tráfico e viciação de viaturas foi desmantelada pela PJ. Estava ligado a uma estrutura mafiosa de Leste que vendia carros de luxo furtados em Itália e na Alemanha. Portugal e África eram os destinos.

A investigação da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa levou à detenção de quatro indivíduos, três deles de países do Leste europeu e um português ligado à segurança de estabelecimentos de diversão nocturna, já conhecido das autoridades por ter ligações a negócios de extorsão. Foram constituídos arguidos mais dois portugueses, também eles participantes no negócio de venda de veículos.

A rede, investigada pela PJ no âmbito da Operação "Via Romana", em cooperação com autoridades internacionais, como o Gabinete Sirene e a Europol, organizava a venda de veículos na Alemanha, França, Espanha, África e Portugal.

A Polícia Judiciária aprendeu sete carros em Lisboa e na margem Sul do Tejo, mas a venda ocorria em todo país. Um dos últimos negócios tentados ocorreu em Trás-os-Montes. Algumas das viaturas já estavam em circulação, como se se tratasse de viaturas legais. Outros estavam em garagens ou estacionados na via pública à espera de serem negociados. A investigação foi iniciada há seis ou sete meses, mas a PJ suspeita que o grupo já actuava no nosso país há cerca de dois anos, segundo fontes policiais adiantaram ao JN. Os três estrangeiros estavam legais.

As viaturas eram furtadas em Itália e na Alemanha, em circunstâncias que as autoridades estão ainda a precisar. Os alvos do grupo eram viaturas de luxo, em particular das marcas BMW e Audi. Os furtos eram praticados por outros elementos e foram primeiro detectados pelas autoridades italianas.

As autoridades estão particularmente interessadas em saber quais as técnicas usadas nos furtos, uma vez que se trata de viaturas cuja segurança é muito sofisticada. Aliás é a esta segurança que é atribuída a subida no número de carjacking.

Os veículos furtados eram depois viciados e dotados de documentação falsa e trazidos por estrada para Portugal, onde começavam a ser negociados. Todos estes movimentos foram monitorizados pela Polícia.

A principal saída das viaturas era o mercados dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, se bem que fossem vendidos também no nosso país, através de anúncios publicados na Comunicação Social.

No entanto, houve situações também em que os carros foram vendidos a clientes espanhóis e, noutros casos, a PJ referenciou movimentos de viaturas de Portugal para um porto francês, de onde eram também enviadas, por via marítima para África.

Foram apreendidos vários computadores - que estão a ser vistoriados - e telemóveis, com cartões nacionais e estrangeiros e com vários registos de chamadas, emitidas e recebidas, para o todo o espaço europeu.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 293 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal