Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/12/2006 - Última Instância Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Paulinho da Força Sindical e mais 11 responderão por estelionato


A Justiça Federal em Ourinhos (SP) aceitou a denúncia da Procuradoria-Geral da República e abriu processo contra o deputado federal eleito Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP) —presidente da Força Sindical. Ele e mais 11 pessoas são acusados de crimes de estelionato, falsidade ideológica e falsificação de documentos.

Segundo a denúncia da PGR, os acusados obtiveram, indevidamente, mediante atos fraudulentos, R$ 2,859 milhões em recursos federais do Ministério do Desenvolvimento Agrário para um projeto de reforma agrária considerado inviável técnica e economicamente.

O advogado da Força Sindical Antônio Rosella afirmou que o presidente da entidade não foi notificado da denúncia e nem do inquérito sobre o assunto. Segundo ele, caso Paulinho seja notificado, a ação deve ser encaminhada diretamente ao STF (Supremo Tribunal Federal) pelo fato dele ter foro privilegiado.

Além de Paulinho, são acusados seu assessor, João Pedro de Moura e o ex-prefeito de Piraju (SP), Maurício de Oliveira Pinterich (atual subprefeito do Butantã, em São Paulo), presidente da Amvapa (Associação dos Municípios do Vale do Paranapanema).

A procuradoria acusa os envolvidos na fraude de forjarem documentos para iniciar um projeto previsto no PRF (Programa de Reordenação Fundiária), que tinha a Força Sindical como unidade técnica responsável. Segundo os procuradores, os acusados superfaturaram em 77,3% o preço de uma fazenda em Piraju, comprada para assentar trabalhadores rurais. Eles também teriam induzido agricultores a formarem uma associação, que aprovou a a compra da fazenda.

Segundo a PGR, além da ação criminal, tramita na Justiça Federal de Ourinhos, contra os mesmos acuados, ação de improbidade administrativa desde 2002. Nove deles tiveram decretada a indisponibilidade e o seqüestro dos bens numa ação cautelar.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 433 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal