Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/12/2006 - Jornal da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Irmãos alegam ter perdido R$ 200 mil em golpe praticado por "embaixadores"

Por: Gilberto Lacerda


Uma das vítimas do "golpe da multiplicação dos dólares" esteve ontem na sede da Polícia Federal. A quadrilha tem agido em todo o Brasil, e em Três Corações (MG) ludibriou quatro irmãos, levando deles mais de R$ 200 mil.

"Eu me olho no espelho e me sinto um burro." A frase é do técnico de informática S.C.T., 28 anos. Ele e os irmãos se endividaram, realizando empréstimos e vendendo imóveis, para levantar o dinheiro e comprar os dólares.

"Quando o cara fez a ‘mágica’ na nossa frente, os olhos até brilharam", conta a vítima. Os golpistas se identificam como embaixadores de Camarões. O irmão de S.C. conheceu os estelionatários em um bar de Três Corações. "Eles começaram com uma conversa de que precisavam de gente de confiança. A oferta era tentadora", disse.

Os quatro irmãos se prontificaram a ajudar os africanos em troca de ficar com parte dos dólares. No primeiro golpe aplicado pelos "embaixadores", eles levaram cerca de R$ 4 mil dólares das vítimas. "Pelo que os caras falaram, eles tinham que comprar o líquido. A mistura é que transformava o papel preto em dólar. Demos os US$ 4 mil para buscarem o produto químico em Belo Horizonte", conta.

Após retornarem da capital mineira para Três Corações, começou a segunda parte do golpe: buscar a maleta com as cédulas pretas prontas para serem transformadas em dólares.

"Pediram R$ 400 mil em dinheiro. A gente fez de tudo para levantar essa soma, mas não conseguimos", relata S.C. Os quatro irmãos começaram um mutirão para vender os bens e realizar empréstimos e financiamentos. "Vendemos terrenos, financiamos carros, fizemos de tudo e levantamos R$ 200 mil."

Apesar de o valor ser a metade do solicitado pelos "embaixadores", eles aceitaram e marcaram um encontro para fechar o negócio. Na mala prateada estariam US$ 8 milhões. Fazendo a correção pelo câmbio nacional, esse valor ultrapassa R$ 16 milhões. Dos US$ 8 milhões, US$ 2 milhões seriam repassados a S.C e seus irmãos.

Para se ter uma idéia do que significa o montante, uma grande rede de supermercado investiu R$ 30 milhões em Uberaba para edificar o estabelecimento comercial. Dentro da pequena maleta prateada dos camaroneses estaria praticamente a metade desta soma.

Estava tudo pronto. Todos ficaram hospedados em um hotel de Brasília. O encontro foi marcado no interior de um restaurante. Os quatro irmãos estavam ansiosos e até planejavam o que fazer com o dinheiro.

Eles e os camaroneses entraram no estabelecimento. Enquanto as vítimas aguardavam na mesa, os estelionatários saíam pelos fundos com R$ 200 mil em dinheiro. "Nós procuramos por eles durante muito tempo. O golpe foi realizado no dia 2 de maio de 2005", recorda a vítima.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 503 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal