Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

11/05/2009 - Capital News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia identifica presos na “Operação Cupim”

Por: Alessandro Perin


O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgaram há pouco os nomes das pessoas presas no esquema desarticulado nesta segunda-feira, e que são envolvidas em um esquema de sonegação fiscal no transporte e retirada de madeira. A ação envolvia funcionários públicos e empresários, que estariam agindo de maneira a evitar a fiscalização dos carregamentos que transitavam em Mato Grosso do Sul, causando prejuízos fiscais e ambientais. A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e Delegacia Especializada em Crime Organizado (Deco) também participaram da Operação Cupim. Foram apreendidos R$ 6,8 mil em dinheiro e ainda 12 armas.

De acordo com o Ministério Público Estadual, na ação foram presos Julio Alberto Pereira Pinto, Cival Pereira dos Santos, Maurício Fernandes Bueno Filho, Nilton José Baraúna, Maurício de Souza Lima, Jorge Barbieri Figueiredo, Jair Aparecido Dias, Aridalton José de Sousa, Cláudio Aparecido Pereira Pinto, Eva Santos Gonçalves, Demilson de Santi, Karine Zanotto, Hélio Della Vedova de Araújo, Francisco José de Souza e Hélio Alexandre Pires de Araújo.

O empresário Júlio Alberto Pereira Pinto, 31 anos, liderava o esquema de sonegação. Ele residia em Sinop/MT e coordenava as empresas dele Silver Line Transporte e Logística Ltda e J.A. Pinto Transporte Ltda, ambas com sede no endereço residencial dele, e que levavam madeira oriunda de Mato Grosso para São Paulo, Santa Catarina e Paraná, passando por Mato Grosso do Sul.

De acordo com o Procurador-Geral de Justiça Miguel Vieira da Silva, a operação teve início na primeira quinzena de março, logo após a prisão do funcionário terceirizado do Posto de Jupiá de Três Lagoas, Sebastião Mota de Oliveira Filho, que negociava a liberação da passagem de cargas no local. Após essa prisão identificou o nome do empresário.

Conforme a PRF, o empresário pagava alguns agentes tributários estaduais para fazerem vistas grossas com relação aos caminhões dele que trafegassem pela fiscalização, além da duplicação de Notas Fiscais usadas por mais de um veículo, como também pelo tipo de madeira transportada, apresentando valor abaixo do mercado, além da informação do peso não condizer com o real, já que as cargas possuíam 30% a mais do peso permitido.

Para isso, era feita a duplicação de Notas Fiscais e carimbos falsos da Receita Estadual, feita pelo ex-funcionário da empresa que prestava serviços ao Posto Fiscal Tributário de Sonora/MS, Cival Pereira dos Santos, e ainda contava com a cumplicidade de Francisco José de Souza, que não ausência dele praticava a ação. Cival ainda utilizava a conta bancária da amásia, Eva Santos Gonçalves, para efetuar pagamentos de propina a funcionários corruptos.

Os fiscais deixavam as carretas do empresário passarem sem abordagem, não sendo fiscalizadas, tampouco emitidas guias de trânsito da mercadoria transportada, causando prejuízos aos cofres públicos. Para se ter noção da situação, uma multa por embaraço fiscal, ou seja, deixar de submeter aos trâmites legais tributários pode custar R$ 2.119,50, no entanto, não apresentar Nota Fiscal, gerando assim um novo documento fiscal pode resultar em uma multa equivalente ao valor de R$ 7.089,64. Com a prisão de Sebastião, o empresário teve que mudar a rota dos veículos.

Segundo o inspetor da PRF, Valter Pereira Favaro, também vai ser investigado a participação de policiais no esquema de facilitação na fiscalização. “O Gaeco também solicitou o levantamento da apreensão de madeira feita pela PRF nos últimos anos”.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 324 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal