Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/05/2009 - Diário do Comércio Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falso ou verdadeiro?

Por: Fernanda Pressinott

Muita atenção ao dinheiro que recebe por aí: sem saber, você pode ter grande prejuízo ao receber uma ou mais cédulas falsificadas.

O Banco Central (BC) pretende fazer no segundo semestre uma campanha informativa a respeito da falsificação de cédulas, usando vários tipos de mídia em todo o País. A apreensão de notas falsas caiu 21% entre 2007 e 2008, de 665,9 mil para 520 mil cédulas. Mas, segundo o chefe do Departamento de Meio Circulante do BC, João Sidney, isso não ocorreu por causa da diminuição do combate ao crime e sim porque os falsificadores diminuíram a distribuição. "Toda vez que fazemos ações diretas, a falsificação cai. No ano passado, trabalhamos com educação para o comércio (o maior receptador das cédulas falsas) e a Polícia Federal prendeu uma grande quadrilha em São Paulo", diz.

E como o comerciante e as pessoas físicas podem se proteger e evitar receber papel moeda falsificado? A primeira coisa a observar na cédula para comprovar sua autenticidade é a marca d'água. Segundo o BC, 60% das notas falsas não têm essa marca. Para vê-la, basta colocar a nota contra a luz, olhando para o lado com a numeração. Observe na área clara à esquerda as figuras que representam a República ou a Bandeira Nacional, em tons que vão do claro ao escuro.

As cédulas de R$ 50 e R$ 100 apresentam como marca d'água apenas as figuras da República. As de R$ 1, R$ 5 e

R$ 10 podem ter também a Bandeira Nacional. Já as notas de R$ 2 têm só a figura da tartaruga marinha com o número dois e a cédula de R$ 20 tem o mico-leão-dourado com o número 20. Veja no quadro acima detalhes para identificar uma nota verdadeira de R$ 20, com base em informações do Banco Central. Na internet, em www.bcb.gov.br/?realsegur ,é possível verificar em detalhes características das demais cédulas de real.

Segurança menor

"A nota de R$ 20 é a mais moderna e, por isso, tem cores mais difíceis de reproduzir. Essa cédula também tem imagens holográficas", afirma Lorenzo Parodi, um dos idealizadores do site Monitor das Fraudes (www.fraudes.org). Ele afirma, no entanto, que as notas brasileiras são ruins em termos de segurança se comparadas a outras moedas mais novas, como o euro. "O real foi desenvolvido às pressas. Por isso houve muitos erros. Um exemplo é o fato de as notas serem todas do mesmo tamanho", destaca. Com o mesmo tamanho, o falsificador "lava" uma cédula de baixo valor e imprime por cima outra de valor maior. O site de Parodi tem como objetivo informar a população sobre golpes, lavagem de dinheiro e corrupção.

As notas de real mais falsificadas são as de R$ 50, com 325.284 apreensões no ano passado, e as de R$ 20, com 43.687 notas. Os estados que mais apresentaram esse tipo de problema foram São Paulo (192.441) e Rio de Janeiro (52.219 cédulas falsas).

Cursos especiais

Para quem lida com muito dinheiro diariamente, o BC oferece cursos de uma ou duas horas, que podem ser ministrados conforme pedido de associações de classe ou do comércio. O Monitor das Fraudes e outras organizações não governamentais também oferecem treinamentos semelhantes. Para a pessoa física que não quer ser enganada, há informações importantes no site do BC (www.bacen.gov.br). Também existem equipamentos que podem ajudar os comerciantes, como canetinhas de identificação e aparelhos de luz ultravioleta.

Se você receber uma cédula falsa, deve procurar uma agência bancária ou uma representação do BC para solicitar o exame da nota. "Entregamos um protocolo para a pessoa e verificamos a autenticidade da cédula. Se for verdadeira, o que quase nunca ocorre, devolvemos o dinheiro. Caso contrário, o prejuízo é do portador da moeda", explica Sidney, do BC.

Para não arcar com esse prejuízo, muitos dos que recebem dinheiro falso repassam a moeda no comércio. Mas é bom lembrar que, mesmo tendo recebido a nota de boa fé, ao tentar repassá-la a pessoa pode ser condenada a uma pena de seis meses a dois anos de detenção. Para o falsificador, conforme o artigo 289 do Código Penal, a pena varia de três a 12 anos de reclusão.

Dólar é o campeão

O dólar é a moeda mais falsificada do mundo – principalmente por causa de sua importância econômica, mas também por ser um papel-moeda com poucos recursos de segurança, antigo e que não passou por transformações ao longo do tempo.

Para saber se uma nota de dólar é falsa passe a mão sobre ela. A impressão é calcográfica, o que significa que há um relevo facilmente perceptível ao tato. Quando a cédula parecer encerada, com certeza ela é falsa. A textura da cédula autêntica é grossa e áspera.

Na nota autêntica, as cores vivas e brilhantes são combinadas com alguns tons pálidos, gerando fortes contrastes. Nas falsificadas, em geral, todas as cores são pálidas. Além disso, existem três marcas que diferenciam as cédulas autênticas norte-americanas: fios prateados que aparecem na parte da frente da cédula são vistos, com uma lupa, como uma linha; fios da cor de café são misturados à pasta de papel legítimo e há marca d'água.

Divulgação

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1365 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal