Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/04/2009 - Consumidor RS Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Condenada quadrilha que anunciava empréstimos em jornais da Capital

Por: Maria Helena Gozzer Benjamin

Prática consistia na venda de cotas de participação em grupos de consórcios.

A 4ª Câmara Criminal do TJRS manteve a condenação por “crime contra as relações de consumo” e formação de quadrilha de oito pessoas que anunciavam possibilidade de financiamento de veículos e empréstimos sem burocracia em jornais de grande circulação no Rio Grande do Sul. A prática consistia na entrega de contratos de venda de cotas de participação em grupos de consórcios. A decisão é da quinta-feira, 16/4.

A denúncia foi feira pelo Ministério Público e recebida na 11ª Vara Criminal de Porto Alegre. A ação foi sentenciada pela então Juíza de Direito Vanderlei Teresinha Tremea Kubiak (hoje Desembargadora) que condenou oito dos réus e absolveu outros quatro. Os condenados recorreram da decisão ao Tribunal de Justiça.

Os fatos aconteceram entre 2003 e 2004, tendo sido identificadas 634 vítimas. Os condenados eram sócios, empregados, ou vendedores da empresa Realcredi Representações Comerciais e Vendas de Cotas de Participação em Grupo de Consórcios Ltda.

Fraudes

As vítimas eram atraídas por anúncios veiculados nos jornais Zero Hora e Correio do Povo, de financiamento de veículos e imóveis ou empréstimos a juros baixos, sem exigência de consultas a SPC e Serasa.

Os consumidores dirigiam-se até o local, contatavam com vendedores que prometiam a liberação de valores em 15 ou 30 dias, em média, mediante o adiantamento de 5% da quantia pretendida, como taxa de adesão, além do pagamento da primeira parcela. Efetuado o pagamento e assinado o contrato, o cliente ficava aguardando o contato do setor financeiro, que não acontecia. Posteriormente era informado que havia firmado um contrato relativo a uma sociedade em conta de participação e o valor pretendido somente seria liberado quando houvesse saldo em caixa, o que jamais ocorreu.

Para o Desembargador Aristides Pedroso de Albuquerque Neto, Relator, embora negado pelos acusados, o dolo foi evidenciado nos autos. “Vontade livre e consciente dos apelantes em praticar delito contra as relações de consumo, ao induzir diversos consumidores em erro, por indicação ou afirmação falsa ou enganosa sobre a natureza, qualidade do bem ou serviço, utilizando-se de qualquer meio, inclusive a veiculação ou divulgação publicitária.”

Destacou o magistrado que havia informações distorcidas do produto oferecido aos consumidores, que pensavam estar firmando contrato de financiamento, com a certeza de que os valores seriam liberados em poucos dias. Pagavam a primeira parcela e a taxa de adesão, mas não recebiam o crédito prometido.

Penas

Os proprietários da empresa deverão cumprir a pena de 2 anos de reclusão e 6 anos de detenção em regime semi-aberto. O vendedor cumprirá 4 anos e 4 meses de detenção, em regime aberto. Demais envolvidos nos crimes prestarão serviços à comunidade.

Também participaram do julgamento os Desembargadores Gaspar Marques Batista e Constantino Lisbôa de Azevedo.

Proc. 70022316137

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do RS

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 327 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal