Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

20/04/2009 - Gazeta do Povo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Armadilhas do comércio eletrônico

Por: Estelita Hass Carazzai

Precaução deve ser a regra número 1 nas compras feitas pelo computador. Cuidados devem ser os mesmos que seriam tomados em uma loja física.

O consumidor Wagner Flauzino viu R$ 1,1 mil serem jogados fora depois de sua última compra pela internet. O dinheiro, depositado na conta-corrente da empresa virtual RCR Equipamentos Eletrônicos pela compra de um notebook, sumiu da mesma forma que os responsáveis pela loja – que não retornaram mais os e-mails e ligações do consumidor, tiraram o site do ar e desligaram o telefone. A empresa, supostamente localizada em Curitiba, coleciona reclamações em fóruns na web, e é mais uma entre as centenas que causam problemas aos consumidores incautos, que devem se precaver de todas as formas ao fazer compras pela internet.

“O consumidor tem de tomar o mesmo cuidado que tomaria numa loja física, ou até mais cuidado”, recomenda o advogado e professor de direito do consumidor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Antônio Carlos Efing. “Quando você vai a uma loja física, você tem condições de avaliar a estrutura da loja. Na internet, essas informações não são tão fáceis de apurar.” Para ele, o consumidor deve procurar empresas idôneas e reconhecidas pela sua solidez – de preferência já conhecidas no mercado. “Isso reduz muito a possibilidade de transtorno.”

Esse também é o conselho do delegado do Núcleo de Combate aos Cibercrimes da Polícia Civil do Paraná (Nuciber), Demetrius Gonzaga de Oliveira. Ele conta que a maioria dos crimes investigados pelo núcleo, que existe há três anos, é de falsa identidade – por isso o cuidado com as credenciais do lojista é fundamental. “Há muitas empresas falsas, muito documento adulterado. O número de golpistas e falsários que circulam na internet é absurdo. É muito malabarismo. Por isso é difícil escolher a loja certa.”

Investigação de golpes demora pelo menos três meses

Em casos como o de Wagner, em que os lojistas simplesmente sumiram do mapa, o mais recomendado é recorrer à delegacia mais próxima e registrar um boletim de ocorrência, para que o caso seja investigado.

O delegado Demetrius Oliveira, do Nuciber, conta que hoje a polícia tem ferramentas eficientes para localizar os possíveis criminosos pela internet. “Nós temos um acerto de 100% na localização da origem das conexões. Isso não quer dizer que lá esteja o criminoso, mas nos dá pistas. Se a origem da conexão for numa lan house, pode haver controle de quem entra, ou câmeras que nos levem ao criminoso.” Uma vez encontrados os falsários, eles são indiciados e depois julgados.

Essa investigação, segundo Oliveira, leva uma média de, no mínimo, três meses, mas pode durar anos caso os golpistas tenham desaparecido. O delegado ainda comenta que, muitas vezes, os BOs registrados nas delegacias não acabam em condenações, mas em acordos com a empresa. “Se é uma empresa sólida, ela vai ter a possibilidade de se explicar. Quando a empresa é sólida e teve apenas algum problema na entrega do produto, o assunto se resolve em, no máximo, duas semanas.”

Vale ressaltar que quem busca indenizações ou ressarcimentos deve procurar o Juizado Especial Cível ou a Justiça Comum, que trata do caráter cível da ocorrência.

Serviço

O telefone do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) no Paraná é (41) 3323-9448.

Para prevenir

As dicas abaixo foram dadas por especialistas em comércio eletrônico, que recomendaram um passo-a-passo para as compras na internet:

1. Certifique-se da idoneidade da empresa. Procure lojas que sejam sólidas no mercado, e que tenham boas recomendações. Uma busca pelo nome da empresa na internet ou no cadastro de reclamações do Procon já ajuda a verificar qual o índice de satisfação (ou não) dos clientes da loja.

2 Fique de olho nos links do site. Ao passar o cursor do mouse por algum link, verifique na barra inferior do seu navegador se o endereço corresponde ao site da empresa, ou se é de outro site. Isso pode ser um indicativo de fraude.

3. Tenha vários meios de comunicação com o além do e-mail, um número de telefone e um endereço. Isso não é garantia de idoneidade, mas pode facilitar a vida do consumidor caso haja algum problema na entrega do produto.

4. Imprima todos os comprovantes de negociação com a loja – todos! Valem e-mails, conversas pelo MSN, comprovantes de pagamento ou confirmação do pedido. Aos mais precavidos, até mesmo um print screen do site da empresa é válido. Esses documentos podem ser uma prova importante das condições de negociação caso ocorram problemas no cumprimento do acordo. É interessante criar uma pasta no computador para armazenar toda a documentação da compra.

5. Na hora de pagar, opte por sites que tenham ferramentas de pagamento seguras, como o MercadoPago ou PagSeguro. Se não houver, prefira os meios tradicionais de pagamento, como o boleto bancário – dessa forma, seus dados bancários estarão seguros.

6. Acompanhe o seu pedido do início ao fim. Sites com ferramentas de monitoração são sempre uma segurança a mais para o consumidor.

7. Mantenha seu antivírus atualizado. Isso evita que eventuais golpistas roubem suas senhas e dados a partir do comércio eletrônico.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 234 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal