Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

18/04/2009 - Jornal O Curumim Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Capitão acusado de fraudar concurso em Lábre é promovido


O capitão da Polícia Militar, Peter Smith, um dos acusados de fraudar a primeira fase do concurso para Oficial Combatente da PM, realizado em outubro de 2007, conseguiu ,através de mandado de segurança, o direito de ser promovido a major. O mandado foi publicado no Diário Oficial Eletrônico, do Tribunal de Justiça do Amazonas, na última quinta-feira (Veja cópia ao lado).

As fraudes que ocorreram na primeira fase do concurso, de acordo com o inquérito policial, partiram do município de Lábrea, onde o capitão respondia pelo comando da delegacia local e tinha a guarda das provas. O Tribunal não viu neste fato entraves legais para a sua promoção.

ENTENDA O CASO

Com a denúncia da fraude por este Blog, em outubro do ano pasado, além de Peter Smith, foram indiciados pela prática de estelionato mais 9 pessoas: um fiscal do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Aracy Martins de Araújo Pinto e o funcionário da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) José Ramos Lopes. Os demais envolvidos eram ligados ao capitão, como os soldados PM Anderson de Brito Pereira e Adriana Chaves de Lima (esposa do oficial); Uguiney Galvão Rodrigues; George Ald Monte Palma da Silva; Neocione de Souza Oliveira; Francisco Maik e o professor de cursinho Egberto Neves de Araújo, que teria passado as questões de matemática para o professor Eldo Marcolino resolvê-las.

Peter, além de ser indiciado por estelionato, responde na Auditoria Militar por uso indevido de distintivo :ele se fazia passar por major, um sonho de capitão agora realizado.

Respondendo à época do concurso pela delegacia de Lábrea, Peter, ao receber Aracy e José Ramos, responsáveis pela aplicação das provas no município, guardou o material em um cofre - o único da cidade -, que dias antes havia sido emprestado do posto da Sefaz. Tal medida era proibida tanto pela organização do concurso, quanto pela PM. As investigações policiais provaram que um dos envelopes foi violado.

De acordo com um oficial ligado a Corregedoria da PM, que terá o nome preservado pelo Blog, o Conselho de Justificação, a qual o capitão Peter foi submetido, está na fase final do relatório e ele poderá em breve deixar as fileiras da Instituição Militar.

Com relação a promoção conseguida através da Justiça, o oficial disse que na época da fraude Peter seria promovido, mas por se envolver no escândalo bastante abordado pela mídia, acabou sendo rifado da promoção a qual tinha direito.

fonte: Blog do Holanda

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 430 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal