Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/04/2009 - Diário de Pernambuco Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Um novo caso de de extorsão

Atacante Gilmar, do Náutico, também foi vítima de quadrilha e chegou a ser lesado em R$ 11 mil.

Um dia após a prisão em flagrante de dois homens acusados de extorquir o zagueiro tricolor Thiago Matias, o atacante alvirrubro Gilmar confirmou que também foi ludibriado, mas por outra quadrilha, ao invés do que havia dito a Polícia anteriormente. O jogador do Náutico foi lesado em R$ 11 mil, em uma ação que durou seis meses, entre setembro do ano passado e fevereiro deste ano, quando o atleta prestou queixa na Delegacia de Repressão ao Estelionato. Ao contrário do crime contra Thiago, ele não foi ameaçado de morte. No golpe, um homem que se apresentou como "irmão" do meia Cléber Santana - amigo de Gilmar e ex-companheiro de equipe no Vitória e no Santos - pediu dinheiro emprestado para uma suposta cirurgia para a mãe.

O falsário se aproximou do goleador através de telefonemas, se identificando como Cleidinho, irmão de Cléber. Depois, quando combinou de encontrar Gilmar nos Aflitos, ele disse que "Cleidinho não poderia ir", e disse que era um irmão mais velho de Cléber.

Durante as conversas, ele também criouuma conta no bate-papo virtual Messenger, semelhante ao de Cléber, para aumentar a veracidade do episódio. A desculpa? Sempre a mesma. A de que a mãe do amigo estava com câncer e que faria uma cirurgia urgente. "Ele disse que Cléber (atualmente no futebol espanhol) havia abandonado a família e que o caso era grave. É eu acabei ajudando, com R$ 5 mil para a cirurgia, e depois mais duas vezes de R$ 1.500 para a conta do hospital. Mas nunca teve nada disso", disse Gilmar, que ainda deu mais R$ 3 mil, cujo dinheiro seria para "comprar medicação".

"Comecei a desconfiar porque a conversa era sempre a mesma. Sempre dinheiro. Teve época que ele ligava três vezes por dia", afirmou o jogador do Náutico. Pelo menos quatro pessoas participaram do golpe. Todas elas simularam algum parentesco com Cléber Santana. "Teve uma mulher que disse que era a mãe dele, e ligou com a voz debilitada, agradecendo a por causa da cirurgia", lembrou Gilmar, que deunciou o caso na Polícia. O jogador, porém, garante que os criminosos não são os mesmos que foram acusados no caso da extorsão de Thiago Matias. O zagueiro coral - que vinha sendo ameaçado por telefone - chegou a participar de uma armadilha da Polícia Civil para desarticular a quadrilha que também havia extorquido Juninho Pernambucano.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 254 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal